Resumo da balança comercial do agronegócio paulista de Janeiro a Outubro de 2005

            De janeiro a outubro de 2005, as exportações do Estado de São Paulo1 somaram US$ 31,18 bilhões (32,3% do total nacional) e as importações2, US$ 24,92 bilhões (41,3% do total nacional), registrando-se superávit de US$ 6,26 bilhões. Esse resultado mostra tendência crescente do saldo da balança comercial paulista (gráfico 1). Em relação aos primeiros dez meses de 2004, o valor das exportações paulistas aumentou 22,9% e o das importações, 11,6%. O desempenho paulista das exportações (crescimento de 22,9%), na comparação entre os dez primeiros meses de 2004 e de 2005, foi pouco superior à média brasileira (+22,1%). Nas importações, ocorre a mesma tendência, com menor incremento em São Paulo (+11,6%) do que no Brasil (+18,1%). Assim, o percentual de aumento do saldo da balança comercial paulista (+104,6%) foi mais que o triplo do brasileiro (+29,4%) (tabela 4).

Gráfico 1- Balança Comercial, Total da Economia e Agronegócio, Estado de São Paulo, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005

Fonte: IEA/APTA/SAA, dados básicos da SECEX/MDIC.

            O agronegócio paulista também apresentou exportações crescentes (+18,3%), atingindo US$ 9,91 bilhões, enquanto as importações aumentaram 1,7%, somando cerca de US$ 3,06 bilhões, com saldo de US$ 6,85 bilhões3, 27,6% maior do que o dos primeiros dez meses de 2004. As aquisições de produtos estrangeiros relacionados ao agronegócio, realizadas por importadores baseados em São Paulo, tiveram crescimento menor (+1,7%) que as importações totais estaduais (+11,6%). Em função disso, há de se destacar que as importações paulistas nos demais setores - exclusive o agronegócio – somaram US$ 21,86 bilhões, gerando um déficit externo, desse agregado, de US$ 0,59 bilhão de janeiro a outubro de 2005. Isto permite concluir que os superávits do comércio exterior paulista continuam a depender do desempenho do agronegócio estadual.
            A participação tanto das exportações quanto das importações do agronegócio paulista no total do Estado diminuiu 1,2 ponto percentual (gráfico 2).

Gráfico 2- Participação do Agronegócio na Exportação e na Importação, Estado de São Paulo, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005

Fonte: IEA/APTA/SAA, dados básicos da SECEX/MDIC.

            A balança comercial brasileira registrou superávit de US$ 36,34 bilhões de janeiro a outubro de 2005, com exportações de US$ 96,62 bilhões e importações de US$ 60,28 bilhões. Esse superávit, 29,4% maior do que o do mesmo período em 2004, resultou de aumento nas exportações (+22,1%) superior ao das importações (+18,1%). As exportações do agronegócio brasileiro cresceram 9,6% em relação aos primeiros dez meses do ano anterior, atingindo US$ 38,47 bilhões (39,8% do total). Já as importações do setor somaram US$ 8,23 bilhões (13,7% do total). O superávit do agronegócio de janeiro a outubro de 2005 foi de US$ 30,24 bilhões4, 12,7% superior ao do mesmo período do ano anterior (gráfico 3).
            A participação do agronegócio brasileiro no total do País diminuiu, relativamente, tanto em termos de exportação (-4,6 pontos percentuais) como de importações (-2,5 pontos percentuais) (gráfico 4), em decorrência do avanço das transações externas de outros setores.
            Em relação ao agronegócio brasileiro, as exportações de São Paulo nos dez primeiros meses de 2005 representaram 25,8%, cerca de 1,9 ponto percentual a mais do que de janeiro a outubro de 2004, enquanto as importações representaram 37,2%, ou 0,8 ponto percentual a mais do que no ano anterior (gráfico 5).

Gráfico 3- Balança Comercial, Total da Economia e Agronegócio, Brasil, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005

Fonte: IEA/APTA/SAA, dados básicos da SECEX/MDIC.

Gráfico 4- Participação do Agronegócio na Exportação e na Importação, Brasil, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005

Fonte: IEA/APTA/SAA, dados básicos da SECEX/MDIC.

Gráfico 5- Participação do Estado de São Paulo no Brasil e do Agronegócio Paulista no Agronegócio Brasileiro, Exportação e Importação, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005

Fonte: IEA/APTA/SAA, dados básicos da SECEX/MDIC.

            Um aspecto a destacar refere-se ao comportamento das exportações de carne bovina em função do embargo adotado por vários países em seqüência à detecção do surto de febre aftosa no Mato Grosso do Sul. As vendas externas brasileiras de carne bovina não-processada, que haviam recuado de US$ 289,26 milhões de agosto de 2005 para US$ 215,71 milhões em setembro de 2005 (-25,43%), com a ocorrência da aftosa sofrem redução significativa, para 160,44 milhões em outubro de 2005, patamar 25,62% menor que no mês anterior e 14,54% inferior ao mês de outubro de 2004 (Gráfico 6).
            Os desdobramentos desse mercado, que dependem das gestões diplomáticas para a suspensão dos embargos, manifestar-se-ão de forma decisiva no desempenho de 2006, pois de janeiro a outubro de 2005 as vendas externas brasileiras de carne bovina já são muito maiores que a totalidade do ano de 2004.

Gráfico 6- Exportações Brasileiras de Carne Bovina Não Processada, maio de 2004 a Outubro, 2004 e 2005

Fonte: IEA/APTA/SAA, dados básicos da SECEX/MDIC.

            Os agregados da balança comercial do Brasil e de São Paulo, para o total e para o agronegócio, são apresentados nas tabelas 1 a 4.

Tabela 1. - Brasil - Balança Comercial, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005
( US$ bilhão)

Ano
Total
Agronegócio  Partic. do Agronegócio(%)
Exportação Importação Saldo Exportação Importação  Saldo Exportação
Importação
2004
79,12
51,04
28,08
35,10
8,27
26,83
44,4
16,2
2005
96,62
60,28
36,34
38,47
8,23
30,24
39,8
13,7
Fonte: IEA/APTA/SAA-SP, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

Tabela 2. - Estado de São Paulo - Balança Comercial, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005
( US$ bilhão)

Ano
Total
Agronegócio  Partic. do Agronegócio(%)
Exportação Importação Saldo Exportação Importação  Saldo Exportação
Importação
2004
25,38
22,32
3,06
8,38
3,01
5,37
33,0
13,5
2005
31,18
24,92
6,26
9,91
3,06
6,85
31,8
12,3
Fonte: IEA/APTA/SAA-SP, a partir dos dados básicos da SECEX/MDIC

Tabela 3. - Participação da Balança Comercial do Estado de São Paulo no Brasileiro, Total e Agronegócio, Janeiro a Outubro, 2004 e 2005
(%)

Ano Total Agronegócio
Exportação Importação Exportação Importação 
2004
32,1
43,7
23,9
36,4
2005
32,3
41,3
25,8
37,2
Fonte: IEA/APTA/SAA-SP, a partir dos dados básicos da SECEX/MDIC

Tabela 4. - Balança Comercial do Brasil e de São Paulo, Variação Percentual,Janeiro a Outubro, 2005 / 2004

Ano

Total
Agronegócio
Exportação Importação Saldo Exportação Importação  Saldo
Brasil
22,1
18,1
29,4
9,6
-0,5
12,7
São Paulo
22,9
11,6
104,6
18,3
1,7
27,6
Fonte: IEA/APTA/SAA-SP, a partir dos dados básicos da SECEX/MDIC

______________________________________

1Estado produtor (Unidade da Federação exportadora), para efeito de divulgação estatística de exportação, é a Unidade da Federação onde foram cultivados os produtos agrícolas, extraídos os minerais ou fabricados os bens manufaturados, total ou parcialmente. Neste último caso, o estado produtor é aquele no qual foi completada a última fase do processo de fabricação para que o produto adote sua forma final.
2Estado importador (Unidade da Federação importadora) é definido como a Unidade da Federação do domicílio fiscal do importador.
3Excluindo-se bens de capital e insumos provenientes dos Demais Setores, o superávit do agronegócio paulista foi de US$ 7,39 bilhões.
4 Excluindo-se bens de capital e insumos provenientes dos Demais Setores, o superávit do agronegócio brasileiro foi de US$ 32,20bilhões.

Data de Publicação: 20/11/2005

Autor(es): José Roberto Vicente (jrvicente@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Nelson Batista Martin (nbmartin@uol.com.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Sueli Alves Moreira Souza Consulte outros textos deste autor

 

 

 


Governo do Estado de SP