Variação de Preços no Mercado Varejista de Alimentos no Município de São Paulo em Agosto de 2018¹

No mês de agosto de 2018, o levantamento mensal de preços de alimentos no mercado varejista de São Paulo, realizado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), mostrou um acréscimo de 0,35% no dispêndio familiar com alimentos em relação ao mês de julho na capital paulista. Os indicadores de produtos de origem animal e vegetal seguiram em caminhos opostos nesse período: enquanto a variação no agrupamento animal foi negativa em 0,29%, os produtos de origem vegetal apresentaram acréscimo de 1,00% em agosto (Figura 1).

 

Nos produtos de origem animal, o subgrupo “carnes” apresentou variação positiva em 0,42%, com destaque para o acréscimo nos preços dos cortes bovinos. Nos lácteos, o destaque foi a queda do preço do leite longa vida após três meses de alta. Os ovos continuam em queda e, nesse mês, os preços estão em média 3,21% inferiores a julho (Figura 1).

Na parte vegetal, houve aumento no dispêndio em 1,00% no período, apesar da redução significativa do subgrupo “hortaliças”, devido à queda de preços de produtos como a cebola (-18,86%), que está com boa oferta por causa da entrada da safra nacional. No agrupamento de “produtos básicos”, encontra-se a explicação do aumento do dispêndio com produtos vegetais: o pão francês, item de grande importância na cesta, teve aumento no seu preço médio em 5,74%, e a cotação ascendente do dólar está influenciando as importações da farinha de trigo e inflacionando os preços ao consumidor (Figura 1).

Em relação ao período de um ano (ago./2017 a ago./2018), 55 dos 88 itens acompanhados por este estudo (equivalente a 62,5% do total) apresentaram variação percentual anual entre +5,00% e -5,00%. Considerando-se que a inflação no período foi de 4,19%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE)2, conclui-se que, no mesmo período sazonal, há estabilidade nos preços de boa parte dos produtos alimentícios.

Entretanto, observa-se na tabela 1 que alguns produtos variaram fortemente, positiva e negativamente entre agosto de 2017 e agosto de 2018. Dentre os itens de grande peso na cesta de mercado dos paulistanos, feijão empacotado, tomate para mesa e café em pó apresentaram quedas significativas de preços no último ano. Enquanto isso, leite longa vida, filé mignon e laranja apresentaram altas bem superiores à inflação no período.

 

 

Em relação às quedas, a justificativa da redução do preço do café está na bienalidade da produção em 2017, a qual foi, em termos nacionais, aproximadamente 25% inferior à prevista para esse ano3. O aumento na oferta está impactando de maneira positiva as vendas ao consumidor final, com queda anual de preços em 8,10%. O tomate para mesa, segundo fontes do setor4, apresenta boa oferta do produto no mercado devido à boa produtividade ocorrida neste ano, em especial no Estado de Goiás, maior produtor nacional. A queda de preços do feijão no ano é função dos estoques, mas a expectativa de quebra de safra em importantes municípios produtores nos Estados da Bahia e Paraná pode reverter essa queda nos próximos meses.

O grande aumento anual ocorreu no leite longa vida (30,82%), e o clima e o efeito da greve dos caminhoneiros são os responsáveis por essa variação. No caso das carnes, as condições climáticas desse ano foram mais desfavoráveis do que do ano anterior. Em relação à laranja, houve uma produção acima da média em 2017, sobretudo, devido às boas condições climáticas do ano anterior. No ano de 2018, ainda há incertezas sobre o volume total a ser produzido. O IEA, na sua estatística da produção paulista, prevê um aumento de aproximadamente 7% na produção do estado; entretanto cita que as condições climáticas podem afetar o resultado final5. Por outro lado, estatísticas de abrangência nacional apontam uma possível queda na produção. A incerteza do volume a ser produzido esse ano e o valor baixo do produto no ano passado podem explicar a variação anual de preços em 13,56%.

 

COMO INTERPRETAR A FIGURA 1

         Na figura estão dispostos os seguintes resultados:

1) Índice total, que equivale ao Índice de Preços da Cesta de Mercado Total (IPCMT), divulgado mensalmente pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), é obtido pelo cálculo de variação de preços no mês atual em relação ao anterior, ponderados pela sua importância na cesta de mercado das famílias paulistanas;

2) Índice por grupos, que equivale ao Índice de Preços da Cesta de Mercado de Produtos de Origem Animal (IPCMA) para os produtos de origem animal, e ao Índice de Preços da Cesta de Mercado de Produtos de Origem Vegetal (IPCMV) para os produtos de origem vegetal. É calculado de forma análoga ao índice total; a diferença é que é composta por produtos conforme a origem, animal ou vegetal;

3) Indicadores por subgrupos, que são calculados seguindo a mesma regra dos anteriores. O objetivo é indicar a contribuição do subgrupo na formação dos índices por grupos e total; e

4) Variação por produtos, cujo objetivo é mostrar quais produtos tiveram maior influência na formação do índice no mês.

 

1Um bom trabalho de acompanhamento de preços necessita de uma correta coleta de preços no campo e, por isso, o autor reconhece o fundamental trabalho realizado pelos técnicos Andréia Brazão, Cristina Almeida Paes e Valdecir Luchiari na coleta diária de preços em centenas de equipamentos varejistas.

 

2INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Índice de preços ao consumidor amplo (IPCA). Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/precos-e-custos/9256-indice-nacional-de-precos-ao-consumidor-amplo.html?=&t=destaques>. Acesso em: set. 2018.

 

3COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO - CONAB. Acompanhamento da safra brasileira: café. CONAB, Brasília, v. 5, n. 3, p. 1-73, set. 2018. Disponível em: <https://www.conab.gov.br/component/k2/item/download/22210_c0abd78852c613778de88813489846a3>. Acesso em: set. 2018.[A1] 

 

4HF BRASIL. Tomate. Piracicaba: HFBRASIL/CEPEA/ESALQ/USP, 2018. Disponível em: <https://www.hfbrasil.org.br/br/estatistica/tomate.aspx>. Acesso em: set. 2018.

 

5MARTINS, V. A. et al. Previsões e estimativas das safras agrícolas do estado de São Paulo, ano agrícola 2017/18, junho de 2018. Análise e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 13, n. 8, p. 1-11, ago. 2018. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/out/LerTexto.php?codTexto=14505>. Acesso em: set. 2018. 

 

Palavras-chave: alimentos, varejo, São Paulo, cesta de mercado, índices.


Data de Publicação: 19/09/2018

Autor(es): Vagner Azarias Martins (vagneram@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor