Safra de grãos deve atingir 7,683 milhões de toneladas em SP

            A produção paulista de grãos deve aumentar 4,23%, para 7,683 milhões de toneladas, na safra 2003/04, de acordo com levantamento realizado em junho pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta) em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), órgãos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.
            O destaque foi o crescimento de 10,06% na primeira safra (verão ou seca) de soja, para 1,803 milhão de toneladas, favorecido sobretudo pelo acréscimo de 23,25% na área plantada, para 759,68 mil hectares. Com a segunda safra (inverno), estimada em 51,03 mil toneladas, o total produzido atinge 1,854 milhão de toneladas.
            Já a safra de verão de milho caiu 2,5%, para 3,364 milhões de toneladas, basicamente por causa da redução de 3,57% na área, para 728,26 mil hectares. A safra de inverno do grão, de 1,184 milhão de toneladas, na prática deve repetir a anterior, o que resulta na oferta total de 4,548 milhões de toneladas (menos 1,78%).
            A produção total de feijão deve chegar a 310,72 mil toneladas por causa do aumento na primeira safra (17,66%), para 118,79 mil toneladas, e da terceira safra (3,05%), para 117,38 mil toneladas. A produção de algodão cresceu 20,7%, para 216,19 mil toneladas, devido à ampliação da área (28,2%), para 87,29 mil hectares.
            A safra de amendoim é estimada em 187 mil toneladas (mais 23,98%), devido ao desempenho da produção das águas que atingiu 150,10 mil toneladas (acréscimo de 28,4%). Já a colheita de sorgo granífero deve atingir 322,6 mil toneladas (aumento de 53%). A produção paulista de arroz foi de 106,12 mil toneladas (aumento de 4%).

Perenes e semi-perenes

            Entre as culturas perenes e semi-perenes, a safra agrícola de laranja, com final previsto para setembro, poderá aumentar 10,3%, para 360,7 milhões de caixas (de 40,8 quilos). É o melhor desempenho desde a safra de 1993/94, devido ao acréscimo de 10,1% no rendimento por causa das condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento vegetativo dos pomares, uma vez que a área plantada praticamente ficou estável em 669,97 mil hectares.
            A previsão da safra paulista de cana-de-açúcar, que deverá encerrar-se em novembro, indica aumento de 3,6% na produção, para 236,6 milhões de toneladas, e de 2,3% na área, para 3,389 milhões de hectares. A produtividade manteve-se estável, afetada pelo excesso de chuvas no período crítico da cultura.
            Para a safra de café, com final também em setembro, o levantamento indica aumento de 46,5% na produção, para 4,2 milhões de sacas beneficiadas, basicamente em consequência do acréscimo de 51% no rendimento, em função da bianualidade da cultura e das boas condições climáticas no ciclo de produção.
            Para mais detalhes, clique aqui.

Data de Publicação: 18/08/2004

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor