Fatores de eficiência de soja, milho e arroz no Brasil, EUA e França

            O baixo custo da terra e da mão-de-obra, relativamente abundantes no Brasil, é um dos principais fatores da competitividade do País, nas culturas de soja, milho e arroz, em relação aos Estados Unidos e à França. É o que mostra estudo inédito publicado na edição eletrônica de novembro/2004 da revista Informações Econômicas, que já está disponível neste site.
            O trabalho procura revelar os fatores de eficiência dos três produtos agrícolas brasileiros em comparação com os países competidores. A competitividade ligada ao fator trabalho barato, porém, deve ser relativizada à medida que ele apresenta a mesma proporção nos três países (em torno de 5% do custo total), qualquer que seja a cultura.
            O baixo custo de mecanização e das depreciações contribui também nas boas performances dos produtores brasileiros. Porém, os custos de insumos e, em especial, dos fertilizantes e defensivos são relativamente importantes, juntamente com os custos financeiros, nos custos totais nas propriedades brasileiras em relação às dos dois outros países. Isso constitui um fator limitante na competitividade brasileira.  Somente o item sementes aparece menos oneroso. 

            Entre os outros destaques, encontram-se os estudos 'Exportações brasileiras de calçados, de 1996 a 2003', o 'PRONAF e a distribuição do crédito rural no Brasil' e 'O PIB do agronegócio no Brasil e no Estado de São Paulo'.
            Para acessar a íntegra da revista, clique aqui.

Data de Publicação: 01/12/2004

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor