Safra paulista de grãos deve crescer 8,9%, para 7,85 milhões de toneladas

            A produção paulista de grãos na safra 2004/05 - 7,85 milhões de toneladas - deverá representar quase 9% mais em relação à colheita do ano anterior, segundo o terceiro levantamento de previsão de safra do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), órgãos da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado. A área plantada com grãos está estimada em 2,28 milhões de hectares, maior do que a área da safra anterior (2,22 milhões de hectares).
            Os resultados para a cultura do milho, apontam aumento de 1,3% na área cultivada e de 7,0% na produção esperada (3,8 milhões de toneladas) em virtude das condições climáticas favoráveis que vem contribuindo para a produtividade maior em relação à safra passada. A produção de milho safrinha poderá alcançar 1,13 milhões de toneladas (acréscimo de 4,7%).
            As expectativas do levantamento anterior são confirmadas para a cultura da soja, com elevação da área em 5,7% da produção em 15,4% e da produtividade 9,1%. O bom desempenho da cultura ocorre mesmo com os menores preços vigentes no mercado por causa do menor risco na comercialização do produto.
            Para o algodão, a estimativa é de produção de 293,10 mil toneladas (mais 35,6%), devido ao grande aumento de área (29%), para 112,64 mil hectares, principalmente nas regiões de Andradina, Avaré, Presidente Prudente, Presidente Venceslau e Votuporanga. Quanto ao amendoim das águas, a produção encontra-se estimada em 202,97 mil toneladas (mais 35,2%), com ganhos de área (25,9%) e produtividade (7,4%).
            A produção de arroz apresenta queda de 5,8%, para 100,2 mil toneladas, apesar de pequeno aumento na produtividade (1,9%). Tanto o feijão da seca quanto o das águas apresentam menor produção, respectivamente de 6,9% (para 69,44 mil toneladas) e de 22,% (para 92,37 mil toneladas).

Laranja, café e cana

            A produção paulista de laranja poderá atingir 348,1 milhões de caixas de 40,8kg na safra agrícola 2004/05, com redução de 3,5% em relação à safra passada, devido a reduções na área (1,1%) e na produtividade (2,3%), em vista de condições climáticas inadequadas à época das floradas. Na região considerada citrícola, formada pelos 13 principais Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs), com número de pés acima de 5 milhões (cerca de 88% dos pés plantados no Estado), a produção resume-se a 301,8 milhões de caixas de 40,8kg.
            Quanto à cana-de-açúcar para indústria, espera-se uma produção de 244,3 milhões de toneladas, com acréscimo de 1,1% sobre o ano agrícola anterior. Apesar de pequeno, este avanço pode ser atribuído aos altos preços do petróleo e à atratividade do álcool combustível.
            Para o café, aguarda-se uma produção 205,81 mil toneladas, inferior em 17,2% à da safra passada. Como a área tem permanecido estável, este resultado decorre de queda na produtividade explicada pela bianualidade característica da cultura.
            Por fim, apesar do mal da " Sigatoka-negra", a produção de banana deve aumentar 2,3%, para 1,19 milhão de toneladas, o que mostra que os produtores ainda estão conseguindo controlar a doença uma vez que a produtividade aumentou 3,5%.
            Para mais informações, clique aqui.

Data de Publicação: 14/04/2005

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor