Agronegócio paulista sustenta crescimento do saldo da balança comercial brasileira

O saldo da balança comercial paulista aumentou 12,2% no primeiro quadrimestre de 2006, resultado bem superior ao desempenho do superávit brasileiro (+2,2%), em relação a igual período do ano anterior, segundo estudo de pesquisadores do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento. 

Assim, foi o desempenho paulista que garantiu praticamente sozinho o aumento do  saldo positivo da balança comercial brasileira, dizem os técnicos do IEA. Ao excluir São Paulo, o saldo somado da balança comercial das demais unidades da  federação brasileira, nos primeiros quatro meses, seria de US$ 10,51 bilhões, praticamente igual aos US$ 10,45 bilhões de igual período do ano passado.

Em São Paulo, no primeiro quadrimestre, apenas o agronegócio foi superavitário, com exportações de US$ 3,54 bilhões e importações de US$ 1,21 bilhão, gerando superávit de US$ 2,33 bilhões. As importações paulistas nos demais setores - exclusive o agronegócio – somaram US$ 9,65 bilhões, para exportações de US$ 9,25 bilhões. O déficit externo desse agregado foi de US$ 400 milhões no primeiro quadrimestre de 2006. Os superávits do comércio exterior paulista continuam a depender do desempenho do agronegócio estadual,  concluem os técnicos do IEA.

Assim, com a persistência do atual patamar do câmbio, vem ocorrendo aumento das exportações em ritmo muito menor que o das importações. Com isso, ocorreu uma sensível redução no ritmo de crescimento do superávit brasileiro, que só se manteve positivo principalmente devido ao desempenho do agronegócio paulista cujo saldo se mostra ainda vigoroso.

Clique aqui para ver o estudo completo. 

Data de Publicação: 12/05/2006

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor