Em São Paulo, aumenta a produção de grãos, laranja, café e cana

            A colheita paulista de grãos na safra 2005/06 deverá atingir 7,43 milhões de toneladas, um acréscimo de 5,8% em relação ao ano-agrícola anterior, segundo o levantamento de abril do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA) em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento.
            O desempenho apontado na nova previsão de safra deve-se basicamente ao aumento de 15,1 % na produção de milho, para 3,82 milhões de toneladas, e 16,6% na produção de milho safrinha, para 924,16 mil toneladas, além dos resultados favoráveis para feijão da seca (34,4%, para 77,23 mil toneladas), feijão de inverno (14,4%, para 110,88 mil toneladas) e amendoim da seca (16,9%, para 23,77 mil toneladas).
            Destacam-se os aumentos de produtividade nos casos de milho (14%), milho safrinha (30%) e soja (15,1%), já que a área ficou estável (caso do milho) ou caiu (10,3% do milho safrinha e 15,2% da soja). O feijão tanto da seca quanto de inverno foi duplamente favorecido com a ampliação de área (respectivamente de 16,8% e 9,5%) e a boa produtividade (15,1% e 4,5%).

Laranja, café e cana

            A colheita de laranja na safra agrícola 2005/06 poderá atingir 356,88 milhões de caixas de 40,8 kg (um acréscimo de 1,4% em relação à safra anterior), das quais 328,3 milhões de caixas na zona comercial do Estado. A produtividade é estimada em 2 caixas por pé, com aumento de 2%, enquanto a área deve cair 1,1% para 664,38 mil hectares. A redução de área decorre do avanço da cana-de-açúcar, particularmente nas regiões de Catanduva e São José do Rio Preto.
            A produção paulista de café poderá alcançar 4,6 milhões de sacas beneficiadas, um aumento de 38% frente à safra 2004/05. A produtividade chegou a 38%, compensando a manutenção da área em 237,43 mil hectares.
            Para a cana-de-açúcar, espera-se uma produção de 267,12 milhões de toneladas, com acréscimo de 4,8%, e área plantada de 3,87 milhões de hectares (mais 5,4%). A produtividade, porém, manteve-se estável em 83,3 mil quilos por hectare.
           Clique aqui, para ver mais informações.

Data de Publicação: 19/06/2006

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor