Pesquisador do IEA defende tese de doutorado sobre agricultura e meio ambiente

            O pesquisador Richard Domingues Dulley, do Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta) da Secretaria de Agricultura de Agricultura e Abastecimento,  defende, no dia 6 de fevereiro na Unicamp, a tese de doutorado 'Ambiente e produção agrícola: principais paradigmas'.  A defesa de tese será às 14 horas no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) da Unicamp, em Campinas.
            'O sentido principal da pesquisa foi identificar a essência das interrelações que ocorrem, ou poderão ocorrer, nos processos de produção agrícola em sua relação com  a natureza', explica Dulley. Tenta, assim, 'desvendar as bases que sustentam  os sistemas agrários dominantes e emergentes, explorando suas possíveis alternativas, colocando e interpretando-os num mesmo contexto que envolva simultaneamente aspectos agrícolas e ambientais'.
            Identificaram-se duas vertentes consideradas importantes na pesquisa: a) a que busca aperfeiçoar o atual modelo, através da adoção de tecnologias avançadas, derivadas das descobertas científicas relacionadas com a biotecnologia/engenharia genética, informática e microeletrônica aplicada à agricultura, como agricultura moderna, agroquímica, agricultura convencional, agricultura sustentável, agrobiotecnologia e agricultura de precisão; e b) a que busca contrapor-se ao atual modelo e tenta construir uma  agricultura que reconheça as limitações e complexidades da natureza e estabeleça autolimitações em relação à produção em seu meio  ambiente, recebendo diversas denominações: agricultura orgânica, agricultura ecológica, agricultura natural, agroecologia, agricultura biológica, agricultura biodinâmica, agricultura tradicional, agricultura socialmente apropriada agrosilvicultura, permacultura, etc.
            A questão fundamental é o paradigma adotado na relação homem/natureza no processo de produção agrícola, compatibilizando ou não agricultura e  ambiente, explica Dulley. Assim, 'buscaram-se  indicações sobre possíveis caminhos para cada vertente, tendo como referência a agricultura do Estado de São Paulo, em função  da evolução e presente grau de conhecimento científico-tecnológico acadêmico e dos agricultores sobre a agricultura'.
            Considerou-se também a interação, ou não, entre clientes/consumidores/cidadãos/Estado e empresas transnacionais nesse cenário, conclui o pesquisador do IEA.

Data de Publicação: 01/02/2003

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor