Sai A Primeira Tabela De Custo De Máquinas Agrícolas Em 2003

            A primeira tabela de custo de operação de máquinas e equipamentos agrícolas de 2003 acaba de ser divulgada pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. A tabela abrange mais de 60 máquinas e implementos, com informações sobre valor novo, horas de uso anual, depreciação horária, duração e custo horário sem depreciação.
            'A tabela é importante porque o gasto com máquinas é de 20% ou mais do custo das culturas. O produtor deve conhecer esses números para gerenciar as operações com máquinas e tentar diminuir seus custos de produção', diz a pesquisadora Marli Dias Mascarenhas Oliveira. Além disso, se não forem utilizadas corretamente, as máquinas agrícolas podem sobrecarregar os gastos da propriedade e consumir o lucro dos produtores.
            Os dados publicados na tabela são utilizados tanto por produtores e técnicos do setor privado quanto por pesquisadores. Pode-se saber, por exemplo, que uma colhedora de algodão custa atualmente R$ 297,641 mil e pode ser utilizada 480 horas por ano. Sua depreciação horária é de R$ 33,07, ou seja, a cada hora de uso a máquina perde R$33,07 do seu valor. 'Essa depreciação ocorre de qualquer maneira, seja pelo uso da máquina ou por obsolescência tecnológica. Por isso, é necessário maximizar o número de horas de uso para diminuir o impacto desses custos', explica Marli.
            O método de depreciação utilizado pelo IEA é o linear, que é aceito pelo governo quando o produtor vai declarar o valor da máquina no Imposto de Renda.
            O custo horário sem depreciação varia de acordo com o nível de uso da máquina. São os gastos com combustível, óleos, lubrificantes, filtros, pneus e peças de reposição, entre outros. Para saber o valor horário da operação, soma-se o custo horário do trator com o custo horário do implemento que irá realizar a operação, além de considerar o salário do tratorista.
            Para se chegar aos preços de cada item, são consultados fabricantes e revendedores de máquinas e implementos em todo o Estado de São Paulo, de acordo com o pesquisador Hiroshige Okawa, responsável pela elaboração da tabela. Como os preços são diferentes de um lugar para outro, é feita uma média de quatro ou cinco valores. 'Se tiver um preço muito mais acima ou abaixo, ele é descartado para não prejudicar a média', diz Okawa.
            A tabela completa de custo de máquinas e implementos agrícolas pode ser encontrada na página de Preços Agrícolas nesse site.

Data de Publicação: 31/03/2003

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Geraldo Sant’Ana de Camargo Barros Consulte outros textos deste autor