Agronegócio paulista sustenta crescimento do saldo da balança comercial brasileira

            A balança comercial paulista do agronegócio apresentou superávit de US$ 10,15 bilhões em 2006 (acréscimo de 27,4% sobre 2005), fruto da diferença entre exportações de US 14,74 bilhões (mais 25,4%) e importações de US$ 4,59 bilhões (mais 21,4%). Já o saldo comercial do agronegócio brasileiro cresceu menos: 10,2%, para US$ 39,92 bilhões, em decorrência de exportações de US$ 52,01 bilhões (mais 12,3%) e de importações de US$ 12,09 bilhões (mais 20,1%).
            O estudo de pesquisadores do Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, mostra que o desempenho das exportações do agronegócio resultou basicamente da evolução dos preços, em detrimento das quantidades. Em São Paulo, os preços aumentaram 26,4% sobre o ano anterior, enquanto as quantidades caíram 0,8%. No caso brasileiro, os preços evoluíram menos do que os paulistas (11,9%) e as quantidades exportadas cresceram 0,4%.
            'Dessa forma, o crescimento do saldo da balança comercial brasileira em 2006 (US$ 1,37 bilhão superior ao de 2005) deve-se ao agronegócio paulista, cujo superávit aumentou US$ 2,18 bilhões em relação ao ano anterior. Ou seja, excluindo-se o agronegócio paulista, o saldo da balança comercial brasileira seria US$ 810 milhões inferior ao de 2005', concluem os técnicos do IEA.
            Clique aqui para ver a íntegra do estudo.

 

Data de Publicação: 17/01/2007

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor