Workshop discute projeto de retomada da produção de vinhos em São Paulo

            Retomada da produção de vinho em São Paulo em níveis que coloquem o Estado na liderança do setor. Esta é a proposta do Projeto “Revitalização da Cadeia Vitivinícola Paulista: Competitividade, Governança e Sustentabilidade”, que será apresentado no Workshop SP Vinho, dia 25 de julho, em São Roque.
            O projeto é uma iniciativa da Prefeitura de São Roque, em parceira com o Sindicato da Indústria do Vinho de São Roque, a Secretaria de Estado da Agricultura (SAA) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). É financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), dentro do programa de políticas públicas coordenado pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA-APTA-SAA).
            O trabalho é desenvolvido por uma equipe de 16 pesquisadores de cinco instituições: Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e três Institutos da Agência Paulista de Tecnologias do Agronegócio (APTA) que são o IEA, o Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL) e o Instituto Agronômico (IAC).

Programação

            O workshop, envolvendo todos os parceiros, tem o objetivo de apresentar o resultado da primeira fase do projeto e explicar as próximas etapas.
            Na parte da manhã, o workshop apresentará as perspectivas para a vitivinicultura do Estado de São Paulo, mediante a participação de várias instituições envolvidas com a cadeia de produção do setor.
            Na parte da tarde, serão divulgados os resultados da primeira fase do projeto que durou seis meses (de fevereiro a julho). Foram cumpridas todas as seguintes etapas: atualização do cadastro de produtores de uva e vinho; definição dos elos básicos da cadeia produtiva (viveiro de mudas, produtor de uva e produtor de vinho); elaboração de questionário minucioso para definir o perfil dos produtores, o processo produtivo, as necessidades de cada vinicultor e viticultor, enfim, identificar o trajeto da fruta desde o parreiral até a comercialização do vinho.
            Além da apresentação dos resultados, o evento abordará o panorama da vitivinicultura brasileira, o cadastro vitícola e as experiências de organização dos produtores do Estado do Rio Grande do Sul, mediante a participação de dois pesquisadores da EMBRAPA Uva e Vinho de Bento Gonçalves, bem como as novas oportunidades que o turismo vem gerando para o setor.
            Aguarda-se a presença do secretário de Agricultura e Abastecimento, João Sampaio; do coordenador da APTA, João Paulo Feijão; do vice-presidente e coordenador do Comitê das Cadeias Produtivas do Agronegócio da Fiesp, João Guilherme Ometto; dos prefeitos das cidades contempladas pelo projeto: Efaneu Godinho (São Roque), Antônio Celso Mossin (São Miguel Arcanjo), Ary Fossen (Jundiaí) e Vanderlei Gerez (Jarinu), além de outros políticos, produtores de uvas e vinhos e possíveis investidores.
            No final do evento, haverá trocas de experiências e apresentação dos encaminhamentos para a segunda fase do projeto entre os técnicos, produtores, investidores e pesquisadores.

Consumo, lazer e turismo

            O projeto-piloto será na cidade de São Roque, que foi a pioneira no desenvolvimento dessa técnica por meio da Vinícola Góes, com seus parreirais experimentais onde já são cultivadas cerca de 40 variedades viníferas.
            “Este é um momento oportuno para o desenvolvimento do SP Vinho, porque existe um interesse crescente pelo tema, seja no consumo do vinho ou nos aspectos de lazer e turismo que a indústria vitivinícola proporciona”, comenta o pesquisador Luis Madi, diretor do ITAL.
            Segundo o prefeito Efaneu Godinho, essa iniciativa também é muito importante para o crescimento econômico do Estado, uma vez que mais de 50% do consumo de vinho do Brasil está em São Paulo. “Precisamos produzir o suficiente para suprir essa demanda com qualidade e permitir que o Estado passe a importar menos vinhos do Sul ou até do exterior.”
            O diretor-geral da Vinícola Góes e membro do sindicato dos vitivinicultores da cidade, Cláudio José de Góes, ressalta a vantagem da troca de experiências entre os municípios produtores de vinhos que queiram aderir ao projeto. “O intercâmbio de tecnologias de cultivo de uvas e fabricação de vinho certamente colocará a qualidade dos vinhos paulistas em um patamar internacional.”
            Segundo a pesquisadora Adriana Verdi, coordenadora geral do projeto, a primeira fase termina com a consolidação de um ambiente institucional mais favorável ao setor, já que as reuniões gerais constituíram espaços de agregação dos interesses de várias instituições envolvidas com a vitivinicultura. Destaque para FIESP; sindicatos e associações de produtores; SEBRAE; SENAI; Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA); secretarias municipais; casas da agricultura e os institutos de pesquisa e universidades.
            “Hoje, podemos confirmar o início de um processo rumo a uma governança entre os agentes envolvidos, fator fundamental para a tomada de estratégias coletivas voltadas para o desenvolvimento da vitivinicultura paulista”, comenta Verdi.

Próximas etapas

            A proposta da segunda fase será encaminhada ao final de julho e tem um prazo de dois anos para diagnosticar os elos-básicos da cadeia vitivinícola dos municípios envolvidos, historicamente conhecidos como produtores de vinho e promissores para o plantio das novas variedades. Essa fase visa caracterizar toda a cadeia produtiva, analisar o manejo da videira, as condições de trabalho, o processo produtivo do vinho, os perfis de produtores de uva e de vinho e os principais destinos da produção. Todos esses estudos nortearão a definição de alguns encaminhamentos de políticas públicas para o setor.
            A terceira e última etapa será a aplicação dos encaminhamentos pelas prefeituras parceiras do projeto.

Serviço:
Evento: Workshop SP Vinho
Data: 25 de julho
Horário: das 8:30h às 17:30.
Local: Hotel Cordialle, São Roque – SP.
 

Programação:


- 8:30h – Recepção e inscrições.

- 9:00h – Café.

- 9:30h – Abertura.
- 10:00h – Perspectivas para a Vitivinicultura Paulista.
         Participação das Instituições envolvidas com a Vitivinicultura.
         Coordenação: Adriana Verdi (IEA) e Fausto Longo (FIESP).

 12:30h – Almoço.

- 13:30h – “Revitalização da cadeia vitivinícola Paulista: Sustentabilidade, Governança e Competitividade”
Dra.Adriana Renata Verdi – IEA e Dr. Fausto Guilherme Longo (FIESP).
- 14:15h - “Panorama da Vitivinicultura Brasileira e Cadastro de Vitivinicultores do Rio Grande do Sul”
Dra.  Loiva Maria Ribeiro de Mello – EMBRAPA Uva e Vinho.
- 15:00h – “Organização dos vitivinicultores gaúchos”
               Sr. João Carlos Taffarel – EMBRAPA Uva e Vinho.

- 15:45h -  Café.

- 16:00h -  “Turismo e possibilidades para a vitivinicultura”
Dra. Andréia Roque Junqueira de Arantes (ABRATURR).
- 16:45h – Encaminhamentos do setor para a segunda fase do Projeto. Coordenação: Dra. Adriana Verdi (IEA) e Dr. Fausto Longo (FIESP).
- 17:30h – Encerramento.

Data de Publicação: 23/07/2007

Autor(es): José Venâncio De Resende (venancio@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor