Pesquisa de trabalho por autores

A busca resultou em 60 resultados. Exibindo de 1 a 10.
Início ]
Anterior ]
Próximo ]
Último ]
 
1 - Artigo
.Data Publicação: 11/11/2019
.Título: Emprego Formal no Setor Agropecuário Paulista Permaneceu em Tendência de Queda em 2018
.Autor: Carlos Eduardo Fredo, Silene Maria de Freitas
.Resumo:
  Os dados da Relação Anual de Informações Sociais1 divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) para 2018 apontaram crescimento de apenas 0,8% no total dos postos de trabalho formais brasileiros em relação ao ano anterior, cerca de 349 mil novos empregos no território nacional distribuídos entre os cinco setores econômicos2. Essa pequena recuperação deveu-se principalmente ao setor de serviços que contribuiu com 98% no aumento dos empregos em 2018. Dest

.
2 - Artigo
.Data Publicação: 03/06/2019
.Título: Estimativa de Oferta e Demanda de Milho no Estado de São Paulo em 2019
.Autor: Maximiliano Miura, Silene Maria de Freitas
.Resumo:
  O milho é o sétimo produto do Valor Produção Agropecuária Paulista, com R$2,7 bilhões, antecedido pela cana-de-açúcar, carne bovina, laranja, carne de frango, soja e ovos1. A produção paulista de milho ocupa a sexta colocação no ranking brasileiro, atrás dos seguintes estados: Mato Grosso, Paraná, Goiás, Minas Gerais e Rio Grande do Sul2. São Paulo é, também, o quinto maior exportador, com US$73 milhões deste grão3, atrás de Mato Grosso, Goiás, Paraná e

.
3 - Artigo
.Data Publicação: 26/03/2019
.Título: Dinâmica da Fruticultura Paulista: aspectos mercadológicos 2013-2017
.Autor: Silene Maria de Freitas, Carlos Eduardo Fredo
.Resumo:
  Em 2017, a fruticultura paulista gerou 64.197 postos de emprego formal1 e, dispersa em cerca de 553,6 mil hectares, produziu, aproximadamente, 16,9 milhões de toneladas de frutas frescas, ou seja, 45% da produção nacional2. Os destaques foram para a quantidade produzida de laranja e de limão, ambas representando 76% do total brasileiro, abacate e caqui, com 56% figo (42%), bem como tangerina e goiaba, com 38% (Figura 1).

.
4 - Artigo
.Data Publicação: 01/08/2018
.Título: Programa ABC: a oferta de recursos para investimentos em tecnologias com baixa emissão de carbono, safras 2015/16 a 2018/19
.Autor: Silene Maria de Freitas
.Resumo:
  Além da importância do crédito rural no fomento às atividades agropecuárias, ele é um influente instrumento de intervenção governamental sobre as práticas de gestão do setor. Nesse sentido, verifica-se que nos últimos anos o crédito rural vem, a cada safra, tentando induzir os agropecuaristas a minimizarem os impactos negativos que exercem sobre o meio ambiente por meio da criação de programas e linhas de crédito com viés ambiental. Exemplos disso são as linh

.
5 - Artigo
.Data Publicação: 28/05/2018
.Título: Situação Atual e Perspectivas da Produção Brasileira de Etanol de Milho
.Autor: Silene Maria de Freitas, Maximiliano Miura
.Resumo:
A produção brasileira de etanol a partir do milho teve origem, em 2012, no Mato Grosso, com o objetivo de oferecer ao agricultor mais uma opção para escoar o seu produto: as destilarias. Naquela ocasião, os usineiros de cana-de-açúcar aproveitaram a entressafra da gramínea para consumir o excedente da safra de milho na produção de etanol e, com isso, minimizaram a tradicional redução dos preços recebidos pelo produtor do cereal, na época da colheita, e em troca obtiveram uma

.
6 - Artigo
.Data Publicação: 14/12/2017
.Título: RenovaBio: prós e contras
.Autor: Silene Maria de Freitas, Rejane Cecília Ramos
.Resumo:
Dentre as diversas contribuições apresentadas pelo Brasil para manter o aquecimento global em até 2º C está o compromisso, assumido no Acordo de Paris, de que as energias renováveis componham 45% da matriz energética brasileira em 20301. Em meio às várias estratégias para atingir tal fim, destacam-se: aumentar a produção de etanol de primeira geração (para cerca de 50 bilhões de litros), o etanol de segunda geração (E2G) para 2,5 bilhões de litros (a partir de 2023) e

.
7 - Artigo
.Data Publicação: 22/11/2017
.Título: Milho: perspectiva da safra internacional, 2017/18
.Autor: Maximiliano Miura, Silene Maria de Freitas
.Resumo:
De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA)1, a produção mundial de milho 2017/18 estará 3,4% menor que a safra anterior, situando-se em 1,039 bilhão de toneladas. Esse volume está abaixo do registrado para o consumo mundial, que foi de 1,065 bilhão de toneladas (Figura 1), o que pode contribuir para elevar os preços do cereal no mercado internacional, em 2018.Com base em informações do USDA, Ribeiro2 noticiou, na primeira dezena de setembro, que a colhe

.
8 - Artigo
.Data Publicação: 19/05/2017
.Título: Contribuições do Setor Agropecuário para as Emissões de Gases de Efeito Estufa no Brasil, 2010-2014
.Autor: Silene Maria de Freitas, Rejane Cecília Ramos , Katia Nachiluk , Rosana de Oliveira Pithan e Silva, Priscilla Rocha Silva Fagundes, Maximiliano Miura, Carlos Roberto Ferreira Bueno
.Resumo:
RESUMO: Diante da preocupação mundial com os riscos à segurança alimentar, que o aquecimento global apresenta, este trabalho objetivou diagnosticar as emissões de GEE advindas do setor agropecuário em todas as regiões brasileiras visando subsidiar os Planos Estaduais de Mitigação dos Gases de Efeito Estufa (GEE) quanto à alocação de recursos financeiros voltados à adoção de tecnologias com baixa emissão de carbono na agricultura. Foi utilizado o Sistema de Estimativa de Emissão

.
9 - Artigo
.Data Publicação: 06/01/2017
.Título: (Des)acordo de Paris: os velhos “novos rumos” das negociações do Clima?
.Autor: Silene Maria de Freitas, Priscilla Rocha Silva Fagundes, Maximiliano Miura
.Resumo:
Em dezembro de 2015, os países signatários da Convenção sobre Mudanças Climáticas reuniram-se em Paris (COP 21) para elaborar um novo tratado internacional, em substituição ao Protocolo de Kyoto1, visando frear o aquecimento global em até 1,5oC. O Acordo de Paris, como ficou conhecido o novo pacto sobre o clima com fins de mitigar as emissões de gases de efeito estufa (GEE), começará a vigorar em 2020 e conta com os esforços de todos os signatários da Convenção em prol

.
10 - Artigo
.Data Publicação: 01/03/2016
.Título: Mercados Florestais em São Paulo: retrospectiva 2015
.Autor: Eduardo Pires Castanho Filho, Adriana Damiani Correia Campos , José Alberto Angelo, Silene Maria de Freitas
.Resumo:
Em uma visão sintética, o mercado de florestas em São Paulo fechou o segundo semestre de 2015 com as cotações inferiores às do ano anterior, refletindo setorialmente o quadro de desaquecimento em que se encontrou a economia brasileira. As perdas de valor real dos produtos madeireiros continuaram a se agravar e tornaram a atividade pouco rentável nas regiões de custo maior ou produtividade menor.  COTAÇÕES As cotações dos produtos florestais continuaram nos mesmos pat

.
 
Início ]
Anterior ]
Próximo ]
Último ]