Preços Agropecuários: alta de 0,75% na primeira quadrissemana de setembro

 

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1,2 registrou alta de 0,75% na primeira quadrissemana de setembro de 2011. O IqPR-V (produtos de origem vegetal) e o IqPR-A (produtos de origem animal) registraram altas respectivas de 0,05% e 2,66% (Tabela 1).
 


Tabela 1 - Variação Percentual do IqPR, Estado de São Paulo, 1ª Quadrissemana de Setembro de 2011.

São Paulo

São Paulo s/cana

IqPR

0,75

1,40 

IqPR-V

0,05 

0,03 

IqPR-A

2,66

-

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).

 

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice, devido a sua importância na ponderação dos produtos, o IqPR tem leve alta e fecha positivo em 1,40%. O IqPR-V (cálculo somente dos produtos vegetais) encerra positivamente em 0,03% (Tabela 1).
 


Tabela 2 – Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 1ª Quadrissemana de Setembro de 2011.

Origem

Produto

Unidade

Cotações (R$)

Variação quadrissemanal (%)

1ª Agosto/11

1ª Setembro/11

VEGETAL

Algodão

15 kg

56,98
60,35
5,91 

Amendoim

sc.25 kg

29,57
33,57
13,54 

Arroz

sc.60 kg

26,70
29,10
8,97 

Banana nanica

cx.21 kg

10,95
14,55
32,81 

Batata

sc.60 kg

23,63
18,01
- 23,78 

Café

sc.60 kg

440,97
456,47
3,51 

Cana-de-açúcar 

kg de ATR

0,4954
0,4955
0,02 

Feijão

sc.60 kg

96,72
106,01
9,61 

Laranja p/indústria

cx.40,8 kg

10,87
10,06
- 7,51 

Laranja p/Mesa 

cx.40,8 kg

11,69
11,53
- 1,39 

Milho

sc.60 kg

25,63
25,47
- 0,64 

Soja

sc.60 kg

41,45
42,11
1,59 

Tomate p/ Mesa

cx.22 kg

28,07
29,33
4,47 

Trigo

sc.60 kg

29,76
28,49
- 4,27 

ANIMAL

Carne Bovina

15 kg

97,83
98,81
1,00 

Carne de Frango

Kg

1,84
2,08
12,99 

Carne Suína

15 kg

53,36
47,51
- 10,96 

Leite B

Litro

0,9372
0,9373
0,004 

Leite C

Litro

0,8313
0,8211
- 1,23 

Ovos

30 dz

46,82
46,18
- 1,38 
Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).




            Os produtos do IqPR que registraram as maiores altas nesta quadrissemana foram: banana nanica (32,81%), amendoim (13,54%), carne de frango (12,99%), feijão (9,61%) e arroz (8,97%) (Tabela 2).
 

            Na banana os efeitos decorrem da dificuldade de normalização da oferta pelas chuvas que assolaram a principal região produtora paulista representada pelo Vale do Ribeira, formando um cenário de escassez no curtíssimo prazo. Some-se à redução da oferta a maior propensão ao consumo nas estações do ano caracterizadas por temperaturas amenas.
 

            No caso do amendoim, esta variação positiva se refere ao fato de que o ano se iniciou com baixos estoques do produto, que aliado tanto às perdas causadas pelas chuvas no período da colheita como pelo aumento da exportação, limitou sua oferta no momento atual, aumentando suas cotações.
 

            Na carne de frango, os preços internacionais atingiram patamares recordes, superando aqueles até então considerados inalcançáveis. Com isso os impactos nos preços internos se mostram de elevação substantiva com a tendência de boas exportações.
 

            No feijão, as colheitas aquém da demanda das safras das secas e de inverno que refletem principalmente o plantio desestimulado pelos preços abaixo dos custos de produção obtidos na safra das águas no início do ano, levou à escassez sazonal com preços elevados, situação que perdurará até as primeiras entradas do novo plantio das águas.
 

            A retenção de estoques de arroz, face aos preços baixos, vem permitindo a recuperação dos preços que ainda não remuneram os custos de produção. A perspectiva de maior demanda internacional sinaliza continuidade da tendência de alta no curto prazo.
 

            Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços na primeira quadrissemana de setembro foram: batata (23,78%), carne suína (10,96%), laranja para indústria (7,51%), trigo (4,27%) e laranja para mesa (1,39%) (Tabela 2).
 

            A batata configura-se a notória gangorra de preços típica de produtos perecíveis com a concentração conjuntural da oferta que impacta negativamente os preços momentâneos numa realidade que já projeta altas no futuro próximo.
 

            Na carne suína a queda dos preços reflete a estratégia das empresas importadoras do produto brasileiro, após constrangimentos sanitários que definidos para valer no tempo futuro propiciou um aumento elevado das exportações na conjuntura logo após o anúncio, o que reflete em menores embarques atuais e maior oferta interna.
 

            Na laranja para indústria também se manifesta a redução dos preços internacionais de sucos cítricos num movimento exacerbado de valorização cambial, num cenário de safra compatível com a demanda. Esse processo acaba impactando também a laranja de mesa com a redução da compra de frutas para processamento no mercado livre.
 

            No caso do trigo os preços internacionais recuam com o aumento dos estoques mundiais num momento em que a crise econômica afeta a demanda, configurando a dramática realidade de preços internos abaixo dos custos de produção no momento da colheita nacional.
 

            Na laranja de mesa os preços recuam a taxas menores pela força da demanda interna e também a redução da compra de frutas para processamento no mercado livre, configurando nos mercados de laranja um ano de preços baixos quando comparados com o ano passado.
 

            No período analisado, 12 produtos apresentaram alta de preços (9 origem vegetal e 3 de origem animal) e 8 apresentaram queda (5 origem vegetal e 3 de origem animal).
____________________________________________________________________________________________
1 A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 09/08/2011 a 08/09/2011 e base = 09/07/2011 a 08/08/2011.

2 Artigo completo com a metodologia: Pinatti, E.; Sachs, R.C.C.; Angelo, J.A.; Gonçalves, J.S. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v.38, n.9, p.22-34, set.2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573

 

Data de Publicação: 14/09/2011

Autor(es): Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (jose.angelo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor