voltar s






Primeira Estimativa de Oferta e Demanda de Milho no Estado de São Paulo em 2012

            A primeira estimativa de oferta e demanda de milho no Estado de São Paulo para 2012, elaborada pela Câmara Setorial de Milho, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), com base em levantamento de março de 2012, mostra recuperação de 8,9% na produção, refletindo nível semelhante ao de 2010 e expansão de 1,3% na oferta total. Para a demanda, a previsão é de aumentos de consumo em alguns segmentos da cadeia produtiva e estabilidade em outros, destacando-se os aumentos previstos para o segmento de avicultura de postura, de 5%, e da pecuária de corte, também de 5%.
 

            Conforme o levantamento de previsão de safras, da SAA, realizado em fevereiro de 2012, a produção da primeira safra (safra de verão) deve crescer 2,5% em relação ao ano precedente, graças à expansão da área. A produção da segunda safra (safrinha) foi estimada em 1.070,0 mil toneladas, correspondente a uma elevação de 35,4% relativamente a 2010/11. O levantamento da SAA indicava produtividade média esperada de 4.164 kg/ha, ou seja, semelhante à verificada na safra 2009/10 (4.112 kg/ha). Como as condições climáticas no período posterior ao do levantamento não têm sido muito favoráveis, diferentemente de dois anos atrás, foi dado um deságio de 10% sobre a produtividade prevista no levantamento, e considerando o aumento de 2,5% da área plantada, a produção esperada para a segunda safra, utilizada neste trabalho, torna-se menor que o do levantamento acima citado.
 

            A primeira estimativa para 2012 da disponibilidade interna de milho no Estado de São Paulo cresce 8,4% e recupera o nível de 2010, devido aos aumentos de 4,6% do estoque inicial e de 8,9% da produção do grão (Tabela 1).
 

            A primeira estimativa para 2012 da demanda total no Estado de São Paulo indica uma desaceleração do crescimento, sendo prevista uma elevação de apenas 1,3%. Este desempenho se deve principalmente aos segmentos da avicultura de corte e da suinocultura no Estado de São Paulo, os quais estimam, preliminarmente para 2012, um cenário difícil, com no máximo a estabilidade da produção de carnes e, em decorrência, manutenção do nível de consumo de milho verificado em 2011. Situação inversa é constatada nos segmentos de pecuária de corte (confinamento e semiconfinamento de bovinos) e avicultura de postura, que preveem expansão de 5% do consumo de milho, relativamente ao verificado em 2011.
 

Tabela 1 - Oferta e Demanda de Milho, Estado de São Paulo, 2010 a 20121
(em t) 

 

 

            Mantidas as previsões de aumento de 0,9% do estoque final, em volume correspondente a 30 dias de consumo comercial (consumo total menos consumo não comercial), crescimento de 8,4% da disponibilidade interna, e do incremento de 1,3% da demanda total, a necessidade de importação do cereal em 2011 diminui 6,1% em relação a 2011, passando a corresponder a 49% do consumo estadual.

 

Palavras-chave: cadeia produtiva, câmara setorial, consumo, produção.

 

 

enviar Envie este texto por email


Data de Publicação: 03/05/2012
Autor(es): Alfredo Tsunechiro (tsunechiro@uol.com.br) Consulte outros textos deste autor
Maximiliano Miura (miuramax@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor