Preços Agropecuários: alta de 1,34% na segunda quadrissemana de julho

 

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR)1,2 registrou alta de 1,34% na segunda quadrissemana de julho de 2012. Separado em grupos de produtos, tanto o IqPR-V (produtos de origem vegetal) quanto o IqPR-A (produtos de origem animal) apresentaram variações positivas, respectivas de 0,86% e 2,61% (Tabela 1).
 

Tabela 1. Variação Percentual do IqPR, Estado de São Paulo, 2ª Quadrissemana – Julho/2012.

São Paulo

São Paulo - sem cana

IqPR

1,34%

1,99%

IqPR-V

0,86%

1,40%

IqPR-A

2,61%

Fonte: Instituto de Economia Agrícola (IEA).

            Quando a cana-de-açúcar é excluída do cálculo do índice devido a sua importância na ponderação dos produtos, tanto o IqPR como o IqPR-V continuam positivos e fecham em 1,99% e 1,40%, respectivamente (Tabela 1).
 

Tabela 2. Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, 2ª Quadrissemana - Julho/2012

 



            Os produtos do IqPR que registraram as maiores altas na segunda quadrissemana de julho foram: tomate para mesa (68,24%), batata (10,39%), carne de frango (9,04%), ovos (9,03%) e soja (7,39%) (Tabela 2).
 

            No tomate para mesa, as ocorrências de chuvas que reduziram a oferta nas regiões produtoras nas últimas semanas e a colheita de variedades mais valorizadas continuam provocando a acentuada elevação de preços.
 

            A elevação dos preços da batata reflete o efeito das chuvas extemporâneas que dificultam a colheita do tubérculo e seu transporte ao mercado, associado à entrada de variedade mais valorizada.
 

            Já os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços nesta quadrissemana foram: laranja para mesa (25,43%), feijão (12,89%), carne suína (8,49%), banana nanica (5,37%) e algodão (3,01%) (Tabela 2).
 

            A falta de mercado da laranja para indústria (combinação de grande safra com queda no volume exportado - especificamente para o suco não concentrado) deixou poucas alternativas para o citricultor e derrubou o preço da laranja para mesa. Soma-se a isso a diminuição do consumo in-natura por parte dos consumidores nessa época do ano de temperaturas mais baixas.
 

            A entrada plena da safra da seca do feijão provocou a redução de seus preços. As chuvas extemporâneas agravaram a situação, reduzindo a qualidade da leguminosa em virtude do excesso de umidade, o que causou a infestação de mosca-branca na principal região produtora.
 

        No período analisado, 11 produtos apresentaram alta de preços (7 de origem vegetal e 4 de origem animal) e 8 apresentaram queda (6 vegetais e 2 de origem animal).
______________________________________________
¹A fórmula de cálculo do índice (IqPR) é a de Laspeyres modificada, ponderada pelo valor da produção agropecuária paulista. As cotações diárias de preços são levantadas pelo IEA e divulgadas no Boletim Diário de Preço. As variações são obtidas comparando-se os preços médios das quatro últimas semanas (referência) com os preços médios das quatro primeiras semanas (base), sendo a referência = 16/06/2012 a 15/07/2012 e base = 16/05/2012 a 15/06/2012.

²Artigo completo com a metodologia: Pinatti, E.; Sachs, R.C.C.; Angelo, J.A.; Gonçalves, J.S. Índice quadrissemanal de preços recebidos pela agropecuária Paulista (IqPR) e seu comportamento em 2007. Informações Econômicas, São Paulo, v.38, n.9, p.22-34, set.2008. Disponível em: http://www.iea.sp.gov.br/out/verTexto.php?codTexto=9573

 

 

Data de Publicação: 19/07/2012

Autor(es): Luis Henrique Perez (lhperez@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (jose.angelo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor