Valor da Produção Agropecuária e Florestal do Estado de São Paulo em 2012

Apresenta-se o cálculo final do valor da produção agropecuária e florestal do Estado de São Paulo em 2012 (ano agrícola ou safra 2011/12). Neste artigo são analisados os valores totais dos 53 produtos agropecuários2, 3 e florestais, com destaque para os produtos de maior participação na renda bruta total da agropecuária paulista. A análise do valor da produção das regiões do Estado será apresentada em artigo separado.

As informações da safra agrícola 2011/12 sobre produção vegetal e animal foram obtidas dos Levantamentos por Município de Previsões e Estimativas das Safras Agrícolas do Estado de São Paulo, ano agrícola 2011/12, realizados pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) e pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo4, 5, 6, 7.

No mesmo sentido, as informações sobre preços dos produtos agropecuários foram obtidas de duas fontes: Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP)8, para produtos olerícolas (exceto batata, cebola, mandioca e tomate) e frutas (exceto banana, laranja, limão e tangerina), ponderando-se por variedade para cada espécie e por decomposição dos preços de venda no atacado; e Banco de Dados do IEA9  para os demais produtos. Os dados de produção e preço florestal foram obtidos no Banco de Dados do IEA10 e no Sistema de Informações Florestais do Estado de São Paulo (SISFLOR)11, 12.

Os preços médios recebidos pelos produtores representam valores médios correntes de janeiro a dezembro de 2011 e de janeiro a dezembro de 2012. Para a atualização monetária dos valores obtidos para 2011, considerou-se inflação média, dos últimos 12 meses, de 5,40% em 2012, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)13.

No caso específico da cana-de-açúcar, o preço médio recebido pelos produtores foi calculado com base no preço médio do período de janeiro a dezembro de 2012, pago pelas usinas produtoras de açúcar e de álcool do Estado de São Paulo, de acordo com o Conselho de Produtores de Cana-de-açúcar, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo (CONSECANA-SP), que tem como fonte de dados os preços coletados pela Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro-Sul do Brasil (ORPLANA).

Foram elaborados índices de preços e de quantidade (produção) pela fórmula de Fisher (base: 2011 = 100), conforme Hoffmann (1991)14, visando captar as fontes de variação do valor da produção em 2012, em relação a 2011, conforme os grupos de produtos considerados.

As safras dos produtos agropecuários no Estado de São Paulo em 2011/12 foram, em geral, beneficiadas por condições climáticas favoráveis nas principais regiões produtoras, com o segmento de grãos apresentando aumento de produção, em decorrência de expansão da área e de incremento da produtividade15. Apenas o segmento de frutas frescas apresenta queda da produção. A produção de cana-de-açúcar, ao contrário de 2011, aumenta em 2012, dada a expansão da área e do aumento da produtividade16. No caso do café, houve aumento da produção, com a safra na fase de bienalidade positiva, revertendo a situação da safra de 201117.

O valor final da produção agropecuária e florestal (VPAF) do Estado de São Paulo em 2012 foi de R$ 61,5 bilhões, o que corresponde a um aumento, em moeda corrente, de 3,31% quando comparado ao anterior. Deflacionando-se pelo IPCA, do IBGE, o VPAF de 2012 corresponde a uma queda real de 1,98%, em relação a 2011. O valor da produção agropecuária (VPA), excluídos os produtos florestais, somou R$ 56,9 bilhões em 2012, correspondendo a um crescimento de 3,70% em comparação com 2011 (Tabela 1). Dos 53 produtos componentes do quadro do VPAF, 35 apresentaram aumento do preço médio e 18 sofreram queda, em relação ao ano precedente. No tocante à produção, ocorreu aumento de 26 produtos e queda de 27. Verificou-se crescimento do valor da produção de 34 produtos e diminuição do valor de 19.

As principais fontes de crescimento do VPAF em 2012 foram os grupos de grãos e fibras e de olerícolas, cujos valores aumentaram 26,6% e 27,8%, respectivamente. Esses grupos apresentaram os maiores aumentos de preços e de produção em 2012. Outro grupo que também cresceu foi o dos produtos animais, com aumento de 9,9% no valor da produção. Os valores da produção dos demais grupos de produtos sofreram quedas, sendo mais acentuada no grupo das frutas frescas, que apresentaram reduções dos preços e da produção (Tabela 1).

Os resultados finais de 2012 revelam que, dentre os cinco produtos líderes no ranking do VPAF (cana-de-açúcar, carne bovina, madeira de eucalipto, carne de frango e laranja para indústria), que representam 71,1% do valor total, há troca de posição entre o quarto e o quinto produto. Para o café, diferentemente do ocorrido em 2011, não obstante a queda do preço, em 19,8%, o aumento da produção de 36,7% (por conta da bienalidade positiva) em 2012 manteve o produto na sexta posição na lista do valor.

Os produtos que mais sobem no ranking de 2012 são: cebola (8 posições), tomate para indústria (7 posições), batata e mandioca para mesa (6 posições cada), repolho (4 posições) e caqui (3 posições). Por outro lado, alguns produtos, perdem posições, como a resina de pínus (15 posições), manga e goiaba para mesa (5 posições cada), laranja para mesa (4 posições) e o abacaxi (3 posições).

Os produtos que apresentam os maiores crescimentos de valor, em termos relativos, foram: batata (70,0%), cebola (68,0%), tomate para indústria (55,0%), repolho (49,2%), mandioca para mesa (47,3%), caqui (44,6%), feijão (44,5%), amendoim (41,3%) e soja (41,2%). Os produtos que apresentam as maiores quedas de valor da produção foram: laranja para mesa (50,4%), resina de pínus (47,7%), manga (47,0%) e abacaxi (43,1%).

O valor da produção da cana-de-açúcar, principal produto da agropecuária paulista, cresce 4,5% em 2012, diferentemente dos últimos três anos, devido aos aumentos da área colhida e da produção, dado que o preço decresce, em valor corrente. A participação da cana-de-açúcar no valor da produção agropecuária e florestal total do Estado permanece estável (44,2% em 2011 e 44,7% em 2012).

Dada a expressiva participação da cana-de-açúcar no VPAF estadual, torna-se interessante analisar o desempenho geral da agropecuária do Estado de São Paulo, sem esse produto. Nesse sentido, o valor final calculado da produção da agropecuária e da silvicultura paulista em 2012, sem a cana, foi de R$ 34,0 bilhões, o que corresponde a um aumento de 2,40%, em relação ao valor de 2011. Descontada a inflação, medida pelo IPCA, o valor da produção agropecuária e florestal paulista de 2012, sem a cana, decresce 2,85%, relativamente a 2011.

Em termos absolutos a laranja para indústria e a laranja para mesa foram os produtos que apresentaram as maiores perdas em 2012, com quedas de 34,5% e 46,3%, respectivamente, dos preços e de 7,7% da produção. Como decorrência, a receita bruta da laranja para indústria cai R$1,5 bilhão e a da laranja para mesa, R$500 milhões em 2012. Foi um ano crítico para essa atividade, com problemas de safra (maior incidência de doenças na cultura, erradicação de pomares, ocorrência de adversidades climáticas) e de mercado, com desequilíbrio entre oferta e demanda de produto, nos mercados interno e externo.

Tabela 1 - Preço Médio, Produção e Valor Total da Produção Agropecuária e Florestal, Estado de São Paulo, 2011 e 2012


Tabela 1 - Preço Médio, Produção e Valor Total da Produção Agropecuária e Florestal, Estado de São Paulo, 2011 e 2012

____________________________________________

 


Data de Publicação: 02/05/2013

Autor(es): Alfredo Tsunechiro (tsunechiro@uol.com.br) Consulte outros textos deste autor
Paulo José Coelho (pjcoelho@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Denise Viani Caser (dcaser@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Carlos Roberto Ferreira Bueno (cbueno@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eduardo Pires Castanho Filho (castanho@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor