Valor da Produção Agropecuária por Região, Estado de São Paulo em 2012

O valor da produção agropecuária e florestal do Estado de São Paulo em 2012 foi de R$61,5 bilhões, com base em dados finais do ano agrícola 2011/122. Este valor corresponde a um aumento de 3,3% em relação ao do ano precedente, em moeda corrente. Para o cálculo do valor foram considerados 53 produtos, sendo 50 de origem agropecuária e três florestais (madeira de eucalipto, madeira de pínus e resina de pínus).

Os produtos que apresentaram os maiores crescimentos de valor, em termos relativos, foram: batata (70,0%), cebola (68,0%), tomate para indústria (55,0%), repolho (49,2%), mandioca para mesa (47,3%), caqui (44,6%), feijão (44,5%), amendoim (41,3%) e soja (41,2%). Os produtos que apresentam as maiores quedas de valor da produção foram: laranja para mesa (50,4%), resina de pínus (47,7%), manga (47,0%) e abacaxi (43,1%). A cana-de-açúcar, principal produto da agropecuária paulista, correspondeu a 48,4% do valor total (sem os produtos florestais) em 2012. O valor dos produtos florestais atingiu 4,6 bilhões, participando com 7,5% do valor da produção agropecuária e florestal do Estado em 2012.

O objetivo deste trabalho é apresentar o valor da produção agropecuária por região do Estado de São Paulo em 2012. Foi considerada a regionalização da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), a qual agrupa os 645 municípios paulistas em 40 regiões agrícolas, administradas por Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs). Foram relacionados os quatro produtos de maior valor de cada região, visando analisar o grau de concentração das fontes primárias de renda das atividades produtivas3, 4.

No cálculo do valor da produção regional, não são considerados os produtos florestais, por não se dispor de dados regionalizados. Dessa forma e com base em dados finais de preço e produção, o valor da produção agropecuária (VPA) do Estado de São Paulo em 2012 foi calculado em R$56,9 bilhões, 3,7% maior que o de 2011. A composição dos produtos e os procedimentos para o cálculo do valor da produção são apresentados em trabalho similar, focando o Estado como um todo5

Os resultados finais dos cálculos dos valores indicam desempenhos muito discrepantes entre as regiões nesta temporada. As regiões (EDRs) que mais cresceram em 2012 foram Guaratinguetá (51,6%), Franca (30,3%), São Paulo (29,4%), Campinas (21,2%), Itapeva (20,6%), Pindamonhangaba (19,9%) e Registro (19,4%). Dezesseis das 40 regiões apresentam queda do valor da produção, em relação a 2011. As maiores quedas ocorreram nas regiões de Mogi das Cruzes (12,2%), Andradina (10,5%), Limeira (10,2%), Mogi Mirim (8,5%) e Bauru (7,0%) (Tabela 1).

As quatro regiões ou EDRs maiores produtoras da agropecuária paulista em 2012 foram Barretos, São João da Boa Vista, Orlândia e Presidente Prudente, as quais, em conjunto, foram responsáveis por 18,4% do valor total. A região de Jaboticabal, que ocupou a quarta posição em 2011, foi suplantada por Presidente Prudente em 2012, especialmente pelos baixos preços da laranja, segundo principal produto do EDR. Seguem como regiões de maior produção, em ordem decrescente, Ribeirão Preto e Itapeva, cada uma com VPA superior a R$2 bilhões. 

A diferenciação entre as regiões quanto à renda da agropecuária pode ser verificada quando se compara o VPA de Barretos, o maior do Estado, que supera a soma dos VPAs dos sete EDRs de menor produção em 2012 (Jales, Registro, Fernandópolis, Pindamonhangaba, Guaratinguetá, Mogi das Cruzes e São Paulo). Entre as regiões citadas, cinco delas se situam em áreas de proteção ambiental, de topografia e aptidão edafocimática inadequadas para a maioria das atividades agropecuárias extensivas que atualmente possuem elevado valor comercial, o que limita o potencial produtivo regional.

Como citado acima, a cana-de-açúcar é o produto de maior valor em 2012, com 48,4% de participação na renda bruta agropecuária paulista, sem os produtos florestais. A cana foi o principal produto de 29 das 40 regiões do Estado, ou seja, 70% do território. Na listagem dos quatro principais produtos por região, verificou-se que a cana-de-açúcar somente não constou nas regiões de Itapeva, Bragança Paulista, Registro, Pindamonhangaba, Guaratinguetá, Mogi das Cruzes, e São Paulo (Tabela 2 e Figura 1).

Como em 2011, o segundo produto de maior valor no Estado em 2012 foi a carne bovina, que liderou o ranking regional em quatro regiões (Marília, Jales, Pindamonhangaba e Guaratinguetá) e ocupou a segunda posição em outras 14 regiões.

O terceiro produto no ranking do valor no Estado (sem os produtos florestais) foi a carne de frango, que foi o principal produto em duas regiões (Campinas e Bragança Paulista) e o segundo em oito regiões (Ribeirão Preto, Araraquara, Jaú, Itapetininga, Piracicaba, Limeira, Sorocaba e Botucatu). Outros produtos que lideraram o ranking do valor regional foram a banana (em Registro e São Paulo), o tomate para mesa (em Itapeva), o ovo de galinha (em Tupã) e o caqui (em Mogi das Cruzes).

Há regiões com elevada concentração do valor em apenas um produto, como em Orlândia e Ribeirão Preto, com a cana (80,0% e 83,3%, respectivamente, do valor da produção regional) e em Registro, com a banana (80,5% do VPA regional). Por outro lado, há regiões com agropecuária bastante diversificada, com peso menor do valor do principal produto regional, como em Itapeva, com o tomate para mesa (24,8% do valor regional), em Sorocaba, Itapetininga, Avaré e Mogi Mirim, com a cana-de-açúcar (12,1%, 16,5%, 24,3% e 27,8%, respectivamente).


_________________________________________________________________

1Cadastrado no SIGA, NRP 4469.

 2TSUNECHIRO, A. et al. Valor da produção agropecuária e florestal do Estado de São Paulo em 2012. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 8, n. 4, abr. 2013. Disponível em: <http://www.iea.sp.

gov.br/out/TerTexto.php?codTexto=12619>. Acesso em: 02 maio 2013.

 3Em 2001 foram divulgados os valores da produção agropecuária do período de 1995 a 2000 das regiões agrícolas do Estado de São Paulo, em TSUNECHIRO, A. et al. Valor da produção agropecuária do Estado de São Paulo,  por escritório de desenvolvimento rural e região administrativa, 1995-2000. Informações Econômicas, São Paulo, v. 31, n. 7, p. 17-41, jul. 2001. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/out/

TerTexto.php?codTexto=177>. Acesso em: 01 jul. 2001.

 4Em 2008 foi apresentado trabalho sobre o valor da produção agropecuária nos 16 polos (15 polos mais a sede, em Campinas) da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, em TSUNECHIRO, A.; COELHO, P. J.; CASER, D. V. Valor da produção agropecuária por pólo regional, Estado de São Paulo, 2007. Análises e Indicadores do Agronegócio, São Paulo, v. 3, n. 7, jul. 2008. Disponível em: <http://www.iea.sp.gov.br/out/TerTexto.php?cod

Texto=9350>. Acesso em: 28 jul. 2008.

 5Op. cit. nota 2.

Palavras-chave: Escritório de Desenvolvimento Rural, produção, preços, renda bruta. 

 

Data de Publicação: 10/05/2013

Autor(es): Alfredo Tsunechiro (tsunechiro@uol.com.br) Consulte outros textos deste autor
Paulo José Coelho (pjcoelho@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Denise Viani Caser (dcaser@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Carlos Roberto Ferreira Bueno (cbueno@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eduardo Pires Castanho Filho (castanho@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Danton Leonel de Camargo Bini (danton.camargo@sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor