Pesquisa de trabalho por autores

A busca resultou em 107 resultados. Exibindo de 70 a 79.
Início ]
Anterior ]
Próximo ]
Último ]
 
70 - Artigo
.Data Publicação: 30/06/2005
.Título: Dinâmica no Setor Viveirista de Citros no Estado de São Pauloe Triângulo Mineiro, Estado de Minas Gerais
.Autor: Celma Da Silva Lago Baptistella
.Resumo:
Resumo:            O setor viveirista foi escolhido como tema deste trabalho por estar sofrendo grandes mudanças estruturais nas formas e normas de produção de mudas, nos empresários que dirigem os empreendimentos viveiristas e na ocupação de mão-de-obra trabalhadora. As regiões escolhidas para estudo foram o Estado de São Paulo e o Triângulo Mineiro (MG) onde se localiza a maior concentração de viveiros de citros n

.
71 - Artigo
.Data Publicação: 15/06/2005
.Título: A cultura do caqui em São Paulo
.Autor: Priscilla Rocha Silva Fagundes, Celma Da Silva Lago Baptistella, Vera Lucia Ferraz dos Santos Francisco
.Resumo:
            A produção mundial de caqui, em 2004, foi de 2,5 milhões de toneladas, segundo a Food Agricultural Organization (FAO)1. A China é o maior produtor, com 1,7 milhão de toneladas, seguida de Japão com 270 mil toneladas e Coréia do Sul com 250 mil toneladas, enquanto o Brasil ocupa o quarto lugar no ranking mundial.             Em 20032, a cultura do caqui no Brasil ocupou

.
72 - Artigo
.Data Publicação: 30/05/2005
.Título: Cultura do Abacate no Estado de São Paulo
.Autor: Vera Lucia Ferraz dos Santos Francisco, Celma Da Silva Lago Baptistella
.Resumo:
Resumo:             O Brasil é o quarto produtor mundial de abacate e São Paulo, o principal Estado produtor. Neste artigo, dados de levantamentos censitários foram utilizados para obter um perfil do produtor de abacate e descrição de suas unidades produtivas (UPAs). Estima-se que, em São Paulo, de 1998 até 2003, existiam 716 mil abacateiros cultivados em 6.503 hectares. A atividade concentrava-se em propriedades co

.
73 - Artigo
.Data Publicação: 30/05/2005
.Título: População Trabalhadora dos Viveiros de Citros no Estado de São Paulo e Triângulo Mineiro, Estado de Minas Gerais
.Autor: Celma Da Silva Lago Baptistella
.Resumo:
Resumo:             O objetivo deste estudo é apresentar o perfil sócio-econômico da população trabalhadora nos viveiros de citros (enxertadores e trabalhadores comuns) nos diversos aspectos de suas vidas como: idade, sexo, moradia, composição familiar, escolaridade, etc. Para atingir esses objetivos foi realizado levantamento de campo em dezembro de 2001 e janeiro de 2002. Foram consideradas duas grandes regiões no

.
74 - Artigo
.Data Publicação: 19/05/2005
.Título: A cultura do figo em São Paulo
.Autor: Vera Lucia Ferraz dos Santos Francisco, Celma Da Silva Lago Baptistella, Priscilla Rocha Silva Fagundes
.Resumo:
            O figo está entre as vinte principais frutas exportadas pelo Brasil e vem mantendo a terceira posição no ranking de volume comercializado, entre as frutas de clima temperado, com 0,9 mil toneladas. Fica atrás apenas da maçã com 153,0 mil toneladas e da uva com 28,8 mil toneladas, atingindo o patamar de US$ FOB 2,109 milhões1 em 2004. Os maiores importadores do figo brasileiro são Alemanha, França, Países Bai

.
75 - Artigo
.Data Publicação: 29/04/2005
.Título: População trabalhadora no rural paulista em 2004
.Autor: Celma Da Silva Lago Baptistella, Maria Carlota Meloni Vicente, Vera Lucia Ferraz dos Santos Francisco, Carlos Eduardo Fredo, Malimiria Norico Otani
.Resumo:
            A população trabalhadora nas atividades agrícolas no Estado de São Paulo, em novembro de 2004, foi estimada em 1,058 milhão de pessoas1. A ocupação caiu 4,3% em relação a de novembro de 2003 (1,106 milhão de pessoas), mas foi 0,8% superior à estimativa de junho de 2004 (1,050 milhão de pessoas).             Neste levantamento, a participação da mão-de-obr

.
76 - Artigo
.Data Publicação: 28/04/2005
.Título: Evolução dos viveiros de citros no Brasil
.Autor: Celma Da Silva Lago Baptistella
.Resumo:
Resumo:            O artigo aborda a evolução tecnológica da produção de mudas de citros no Brasil, desde o século XVI. Dos primeiros viveiros instalados pelos jesuítas até o surgimento do viveiro comercial no início do século XX, a evolução foi gradual. Com a implantação das primeiras fábricas de suco na década de sessenta, houve um grande impulso na produção de mudas e, consequentemente, a necessidade de gerar con

.
77 - Artigo
.Data Publicação: 16/03/2005
.Título: A cultura da goiaba em São Paulo
.Autor: Vera Lucia Ferraz dos Santos Francisco, Celma Da Silva Lago Baptistella, Antonio Ambrósio Amaro
.Resumo:
            O Brasil, em 2004, foi o terceiro produtor mundial de frutas, com 38 milhões de toneladas, atrás apenas de China e Índia. No mesmo ano, as exportações brasileiras de frutas frescas movimentaram cerca de US$ 370 milhões, com aumento de 10% em relação ao ano anterior. Os principais destinos do produto brasileiro são os países europeus, as Américas do Norte e do Sul e o Oriente Médio, além de perspectivas de

.
78 - Artigo
.Data Publicação: 10/01/2005
.Título: O trabalho feminino no rural paulista
.Autor: Celma Da Silva Lago Baptistella, Vera Lucia Ferraz dos Santos Francisco
.Resumo:
            As mulheres sempre trabalharam de forma intensa nas atividades agropecuárias. Pesquisas1 sobre o grau de integração da mão-de-obra na produção evidenciaram ser a agricultura de subsistência a que absorve maior força de trabalho feminino. Nas pequenas explorações, as mulheres têm participação efetiva e não remunerada.             Neste caso, em que está

.
79 - Artigo
.Data Publicação: 07/01/2005
.Título: Mercado de trabalho: ocupação do menor no rural paulista
.Autor: Celma Da Silva Lago Baptistella, Vera Lucia Ferraz dos Santos Francisco
.Resumo:
            A utilização da força de trabalho do menor (homens e mulheres com menos de 15 anos) nas unidades de produção agropecuária (UPA) no Estado de São Paulo correspondeu, aproximadamente, a 5% do total de residentes ocupados e de 3% a 4% do total dos não-residentes, no período de 2000 a 20031. A participação do menor nas categorias de trabalho proprietário, arrendatário e parceiro (residente e não-residente) foi bastant

.
 
Início ]
Anterior ]
Próximo ]
Último ]