Exportações do Agronegócio das Unidades Federativas do Brasil em 2008

            Nos últimos anos o Brasil apresentou um expressivo crescimento no comércio internacional do agronegócio, consolidando sua posição como um dos maiores produtores e exportadores de alimentos e fibras, exportando para mais de 200 países. Poucos países registraram um aumento tão significativo no comércio internacional do agronegócio quanto o Brasil. O País é hoje o maior produtor e exportador de açúcar, café e suco de laranja. Também é líder nas exportações de álcool, complexo soja, tabaco, carne bovina e carne de frango1.

            As exportações do agronegócio brasileiro cresceram nos últimos oito anos em vários aspectos: volumes embarcados, número de produtos, mercados (países) de destino e origem (regiões) da produção ou do processamento. O agronegócio vem se constituindo em verdadeira 'âncora' do comércio externo brasileiro, apresentando maior dinamismo que os demais setores da economia. As vendas externas do agronegócio cresceram de US$23,9 bilhões em 2001 para US$71,8 bilhões em 2008, enquanto as exportações totais brasileiras passaram de US$58,3 bilhões em 2001 para US$197,9 bilhões em 2008 (Figura 1).

Figura 1 – Evolução das Exportações Totais e do Agronegócio Brasileiro, 2001-2008.

Fonte: Dados originais da SECEX/MDIC.

            No período de 2001 a 2008, houve um significativo crescimento em valores, com aumento de produtividade e eficiência em várias cadeias produtivas, um destaque para a exportação de soja em grão, que, no último período, os valores chegaram a US$10,94 bilhões, sendo o produto do agronegócio de maior valor exportado pelo Brasil.

            No panorama geral das exportações do agronegócio brasileiro em 2008, houve aumento de US$13,386 bilhões, em relação a 2007, ou 22,9% em relação ao ano anterior, registrando um superávit da balança comercial do agronegócio de US$59,986 bilhões. Este desempenho deu-se com o aumento dos preços das commodities da pauta de exportação, como resultado de vários fatores, dentre eles, a queda nos estoques de grãos, que vem ocorrendo desde final da década de 1990, e o aumento da demanda dos países em desenvolvimento, que é mais recente.

            A desvalorização do dólar frente às principais moedas mundiais e ao real, a crise mundial gerada pela quebra do sistema financeiro nos Estados Unidos, a especulação nos mercados futuros de produtos agrícolas e fatores climáticos adversos afetaram a produção de vários cultivos. Essa aceleração do aumento de preços teve o ápice no primeiro semestre de 2008, e impactou positivamente os resultados das exportações brasileiras de produtos do agronegócio. Desde então, os preços internacionais das commodities agrícolas têm apresentado queda, especialmente grão e oleaginosas e, em menor grau, as carnes. Essas reduções dos preços internacionais das commodities no segundo semestre não refletiram substancialmente nas exportações brasileiras do agronegócio em 2008, fato que parte importante das vendas dos principais produtos do agronegócio foi realizada com antecipação e os contratos foram fechados com preços elevados.

            A maior contribuição para a expansão das exportações em 2008 foi dada pelo complexo soja. As exportações do setor cresceram 58% (de US$11,381 bilhões para US$17,980 bilhões), resultado principalmente da elevação dos preços. Continua liderando o ranking de setores exportadores do agronegócio brasileiro, representando 25% das exportações do setor em 2008, seguido pelo setor de carnes, que foi responsável por 20,3% das exportações.

            As diferenças nos pesos do agronegócio na exportação total explicam as discrepâncias entre a ordem das Unidades da Federação (UFs) por valor da exportação total e por valor da exportação do agronegócio. Assim, por exemplo, entre as vinte UFs de maior receita de exportação do agronegócio estão: Tocantins (99,9%), Mato Grosso (98,8%), Rondônia (98,1%), Alagoas (93,8%), Mato Grosso do Sul (81,7%) e Goiás (77,9%) (Tabela 1).

            Na lista das UFs de menor participação do agronegócio na exportação total em 2008 estão: Rio de Janeiro (1,2%), Pará (14,4%), Amazonas (14,6%), Maranhão (17,0%), Espírito Santo (18,9%), Minas Gerais (24,0%) e São Paulo (17,1%). No Amazonas se destacam as exportações de produtos da Zona Franca de Manaus; no Pará e Maranhão predominam exportações de minérios e semimanufaturados de ferro e alumínio; enquanto no Espírito Santo se destacam minérios de ferro e seus manufaturados; e no Rio de Janeiro, petróleo e seus derivados, além da inexpressiva produção agropecuária estadual.

TABELA 1 - Exportação Total e do Agronegócio por Unidade da Federação, Brasil, 2008

Unidade da Federação
Exportação total
Agronegócio
Agronegócio/

total

Valor 

(US$1.000) 

Ordem
%
Valor

(US$1.000) 

Ordem
%
(%)
São Paulo
57.702.678
1
29,2
15.696.387
1
21,9
27,2
Rio Grande do Sul
18.460.072
4
9,3
10.632.914
2
14,8
57,6
Paraná
15.247.237
5
7,7
10.222.358
3
14,3
67,0
Mato Grosso
7.812.346
10
3,9
7.716.578
4
10,8
98,8
Minas Gerais
24.444.440
2
12,3
5.869.013
5
8,2
24,0
Santa Catarina
8.256.219
9
4,2
5.139.664
6
7,2
62,3
Bahia
8.698.664
8
4,4
3.274.678
7
4,6
37,6
Goiás
4.091.752
11
2,1
3.186.626
8
4,4
77,9
Espírito Santo
10.099.372
7
5,1
1.909.836
9
2,7
18,9
Mato Grosso do Sul
2.095.551
13
1,1
1.711.479
10
2,4
81,7
Pará
10.680.514
6
5,4
1.543.079
11
2,2
14,4
Ceará
1.276.970
14
0,6
860.972
12
1,2
67,4
Alagoas
877.500
17
0,4
822.850
13
1,1
93,8
Rondônia
582.669
18
0,3
571.858
14
0,8
98,1
Pernambuco
937.633
16
0,5
517.956
15
0,7
55,2
Maranhão
2.836.303
12
1,4
482.435
16
0,7
17,0
Tocantins
297.706
20
0,2
297.509
17
0,4
99,9
Rio Grande do Norte
348.091
19
0,2
288.289
18
0,4
82,8
Rio de Janeiro
18.714.402
3
9,5
226.613
19
0,3
1,2
Amazonas
1.268.030
15
0,6
185.507
20
0,3
14,6
Distrito Federal
165.793
23
0,1
140.670
21
0,2
84,8
Paraíba
227.705
21
0,1
131.625
22
0,2
57,8
Piauí
136.962
24
0,1
129.118
23
0,2
94,3
Sergipe
111.677
25
0,1
62.734
24
0,1
56,2
Amapá
192.573
22
0,1
61.848
25
0,1
32,1
Acre
22.066
26
0,0
21.669
26
0,0
98,2
Roraima
16.336
27
0,0
15.446
27
0,0
94,6
Total
197.942.443
100
717.197.111
100,0
36,2

1Foram excluídos os itens consumo de bordo, mercadoria nacionalizada e não declarados.

Fonte: Dados originais da SECEX/MDIC.

            A participação das exportações do principal produto (primário ou semimanufaturado) de cada UF em relação às exportações totais do agronegócio mostra uma diversidade de 13 produtos, importantes regionalmente. São produtos industrializados, com maior agregação de valor, no caso do açúcar e da celulose e produtos não processado de menor valor agregado, matéria-prima como soja em grão, couro bovino e madeira (Tabela 2).

            A soja em grão foi o produto agropecuário de maior participação na exportação do agronegócio de sete UFs, com contribuição expressiva na maioria das regiões: 48,6% em Mato Grosso, 34,4% em Goiás, 87,8% no Maranhão, 82,0% em Tocantins e 47,6% no Piauí. A madeira foi o principal produto do agronegócio de quatro Estados: Pará (com participação de 41,3% do total do agronegócio), Amapá (84,2%), Acre (77,7%) e Roraima (59,6%).

TABELA 2 - Valor do Principal Produto e Total da Exportação do Agronegócio por UF, Brasil, 2008

Ordem Unidade da

Federação

Valor do principal produto agropecuário
Valor da exportação do agronegócio
Produto 
US$1.000
%
US$1000
%
% acum.
1 SP
Açúcar
3.563.816
22,7
15.696.388
21,9
21,9
2 RS
Fumo
1.950.749
18,3
10.632.915
14,8
36,7
3 PR
Soja grãos
1.958.671
19,2
10.222.358
14,3
51,0
4 MT
Soja grãos
3.749.858
48,6
7.716.578
10,8
61,7
5 MG
Café verde
3.010.841
51,3
5.869.013
8,2
69,9
7 SC
Carne de frango
1.840.372
35,8
5.139.664
7,2
77,1
6 BA
Celulose
1.364.769
41,7
3.274.679
4,6
81,6
8 GO
Soja grãos
1.096.263
34,4
3.186.626
4,4
86,1
9 ES
Celulose
1.035.355
54,2
1.909.837
2,7
88,7
10 MS
Soja grãos
457.676
26,7
1.711.480
2,4
91,1
11 PA
Madeira
636.873
41,3
1.543.079
2,2
93,3
12 CE
Couro bovino
185.095
21,5
860.972
1,2
94,5
13 AL
Açúcar
628.807
76,4
822.851
1,1
95,6
14 RO
Carne bovina
348.065
60,9
571.858
0,8
96,4
15 PE
Açúcar
274.918
53,1
517.956
0,7
97,2
16 MA
Soja grãos
423.313
87,7
482.435
0,7
97,8
17 TO
Soja grãos
244.032
82,0
297.510
0,4
98,2
18 RN
Frutas frescas
98.664
34,2
288.290
0,4
98,6
19 RJ
Carne bovina
72.321
31,9
226.614
0,3
99,0
20 AM
Bebidas
153.109
82,5
185.507
0,3
99,2
21 DF
Carne de frango
119.367
84,9
140.671
0,2
99,4
22 PB
Algodão
100.330
76,2
131.625
0,2
99,6
23 PI
Soja grãos
61.516
47,6
129.118
0,2
99,8
24 SE
Suco de laranja
46.828
74,6
62.735
0,1
99,9
25 AP
Madeira
52.071
84,2
61.849
0,1
99,9
26 AC
Madeira
16.840
77,7
21.670
0,0
100,0
27 RR
Madeira
9.211
59,6
15.447
0,0
100,0
Brasil
22.827.664
-
717.197.111
100,0
-

1Foram excluídos os itens consumo de bordo, mercadoria nacionalizada e não declarados.

Fonte: Dados originais do IBGE e da SECEX/MDIC.

            Cabe destacar a magnitude da exportação do açúcar de São Paulo, soja em grão do Mato Grosso e café verde de Minas Gerais, com valor superior a US$3 bilhões cada um, e maior que a soma da exportação de todo o agronegócio de cada uma das 19 UFs abaixo da posição de Goiás, oitava colocada no ranking brasileiro.

            Destaque-se no panorama das exportações nos Estados, que São Paulo lidera o ranking das Unidades da Federação (UFs) na exportação do agronegócio no Brasil, com receita de US$15,7 bilhões, representando 21,86% dos total do agronegócio exportado pelo Brasil em 2008. Os 20 produtos de maior participação na exportação paulista representaram 88,8% das receitas das divisas estaduais em 2008. Os quatro produtos das exportações paulistas de maior participação no total brasileiro foram: açúcar, carne bovina, suco de laranja e álcool (etanol) que, em conjunto, representaram 60,5% do total da exportação do agronegócio estadual naquele ano.

            No Rio Grande do Sul os quatro principais produtos do agronegócio exportados em 2008 foram fumo não manufaturado, soja em grão, carne de frango e calçado de couro, cujo conjunto correspondeu a 53,7% do total. O Estado do Paraná teve como os principais produtos: soja em grão, carne de frango, farelo de soja e óleo de soja, que contribuíram com 58,5% do total do agronegócio. Os quatro produtos mais importantes do Mato Grosso foram soja em grão, farelo de soja, milho e óleo de soja, com 78,4% de participação na receita total do agronegócio, sendo que apenas o principal produto (soja em grão) representou, isoladamente, 48,6% desse total (Tabela 3).

TABELA 3 - Participação dos Principais Produtos e Grupos de Produtos na Exportação do Agronegócio nos Quatro Maiores Estados Exportadores, Brasil, 2008
(em %)

 

Ordem Produto
SP
RS
PR
MT
Brasil
1 Soja em grão
2,1
15,2
19,2
48,6
15,2
2 Carne de frango
3,3
12,6
15,8
2,6
8,8
3 Açúcar
22,7
-
5,2
-
7,6
4 Carne bovina
15,1
2,0
0,9
9,0
7,4
5 Farelo de soja
0,9
6,4
12,5
15,9
6,1
6 Café verde 
2,3
-
0,8
-
5,8
7 Celulose
3,2
1,5
-
-
5,5
8 Madeira
1,5
3,7
9,4
2,5
4,9
9 Fumo não manufaturado
-
18,3
0,2
-
3,7
10 Óleo de soja
0,3
6,4
11,0
6,6
3,7
11 Álcool
10,5
-
3,0
-
3,3
12 Suco de laranja
12,2
-
0,2
-
2,8
13 Papel
6,7
0,2
4,4
-
2,7
14 Couro e pele bovina
3,6
4,8
1,0
0,8
2,6
15 Carne suína
0,1
6,8
0,7
0,5
2,1
16 Algodão e produtos texteis
0,8
0,1
0,1
5,6
2,0
17 Milho
0,9
0,7
4,1
7,3
1,8
18 Calçados de couro
0,9
7,6
0,1
-
1,6
19 Carne de peru
-
0,8
2,1
-
0,8
20 Café solúvel
1,7
-
2,3
-
0,8
Participação total
88,8
87,1
93,0
99,4
89,2

Fonte: Dados originais da SECEX/MDIC.
 

1MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br>. Acesso em: 11 abr. 2009.

Palavras-chave: exportação, agronegócio, agricultura, pecuária, Unidade da Federação.


  

Data de Publicação: 28/08/2009

Autor(es): Maximiliano Miura (miuramax@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Alfredo Tsunechiro (tsunechiro@uol.com.br) Consulte outros textos deste autor