voltar s






Terceira Estimativa de Oferta e Demanda de Milho no Estado de São Paulo em 2010

            Na terceira estimativa de oferta e demanda de milho no Estado de São Paulo em 2010, da Câmara Setorial de Milho, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), de setembro de 2010, são revisados os dados de produção e de consumo do corrente ano.

            Foram comparadas as últimas estimativas da produção de milho de três instituições: Instituto de Economia Agrícola/Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (IEA/ CATI), da SAA (previsão de aumento de 3,9%), Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB) (aumento de 4,9%) e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (queda de 8,4%). Os membros da Câmara optaram pela estimativa da SAA, por entenderem que ela reflete melhor o desempenho da cultura na presente safra.

            O quinto levantamento da safra 2009/10, da SAA, realizado em junho de 2010, confirma as previsões anteriores de queda da produção de milho de verão, em função da diminuição da área plantada, em relação ao ano 2008/09. Para a segunda safra (milho safrinha), é mantido o aumento da produção, com a elevação da produtividade compensando amplamente a retração da área.

            Com o aumento da produção de milho no Estado em 2010 e o incremento do estoque de passagem (estoque inicial), a disponibilidade interna cresce, mas não recupera a queda de 11,7% ocorrida em 2009 (Tabela 1).

            Do lado da demanda, procedeu-se à revisão da estimativa do consumo de milho pela pecuária de corte, representada por confinamento e semiconfinamento de bovinos, e pela indústria moageira, para consumo humano e industrial. Na pecuária de corte, as expectativas de rentabilidade do início do ano não se confirmaram, dado o elevado custo de aquisição do boi magro, ficando mantido o mesmo nível de consumo de milho do ano anterior.

            Foram mantidas as estimativas anteriores de consumo de milho pelos demais segmentos de produção animal: avicultura de corte (aumento de 5%), avicultura de postura (+5%), suinocultura (+3%) e pecuária leiteira (+3%).

Tabela 1 - Oferta e Demanda de Milho, Estado de São Paulo, 2008 a 20101
(em t)


 

            No caso da indústria moageira (úmida e seca), admite-se que o aumento do poder aquisitivo da população neste ano vem se refletindo no crescimento do consumo de produtos derivados do milho, de modo a justificar uma elevação de 4,3% do consumo da matéria-prima (grãos de milho) pelo segmento. Considera-se incluído neste aumento o consumo de milho, a partir de julho de 2010, de uma nova indústria de amido de milho, com processo de moagem úmida, instalada em Palmital, município da região do Médio Paranapanema.

            Com a revisão (para cima) da produção estadual e da disponibilidade interna e do incremento menos que proporcional do consumo e do estoque final em 2010, há uma queda do volume de milho importado de outras regiões, em relação à segunda estimativa, de junho de 2010, o qual passa a representar 48% do consumo estadual no ano. A relação estoque/consumo de 2010 é a mesma de 2009 (7,5%).
________________________________________________________________________________________________
Palavras-chave: câmara setorial de milho, consumo, demanda, milho, oferta, produção.
 

 

enviar Envie este texto por email


Data de Publicação: 06/10/2010
Autor(es): Alfredo Tsunechiro (tsunechiro@uol.com.br) Consulte outros textos deste autor
Maximiliano Miura (miuramax@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor