Exportações dos agronegócios brasileiros para a União Européia, janeiro-setembro de 2006

            A União Européia1 adquiriu 30,3% (ou US$ 11,49 bilhões) dos US$ 37,91 bilhões das exportações de produtos dos agronegócios de janeiro a setembro de 2006, constituindo-se na principal compradora do Brasil. Porém, apesar da variação positiva de 4,7% em comparação com igual período de 2005, obteve desempenho bem inferior ao das exportações totais para a União Européia (+11,0%), ao das vendas externas dos agronegócios (+9,9%) e ao dos totais das exportações brasileiras (+16,1%) (tabela 1).

Tabela 1 - Exportações brasileiras para a União Européia de janeiro a setembro de 2005 e 2006, totais e dos agronegócios, em US$ 1000

Total/ setor
2005
2006
Variação (%)
Exportação do Brasil
86.719.266
100.711.573
16,14
Exportação para União Européia
19.882.405
22.065.996
10,98
Exportação dos Agronegócios
34.509.884
37.911.127
9,86
Agronegócios para União Européia
10.979.971
11.491.024
4,65
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            A participação das exportações dos agronegócios para a União Européia nas vendas totais do setor, em 2006, foi de 30,3%, pequena queda em relação ao mesmo período de 2005, que era de 31,8%. Verificou-se também queda na representatividade das exportações dos agronegócios para a União Européia, que passou de 55,2% (2005) para 52,1% (2006). Em consequência, essa participação diminuiu em relação às exportações totais, de 12,7% (2005) para 11,4% (2006). Já o peso das vendas totais para a União Européia nas exportações brasileiras passou de 22,9% (2005) para 21,9% (2006), uma queda de 1%, mas mesmo assim este continua sendo o principal mercado comprador do Brasil (tabela 2).

Tabela 2 - Participação das vendas para a União Européia nas exportações brasileiras, de janeiro a setembro de 2005 e 2006, em porcentagem

Participação
2005
2006 
Agronegócios p/União Européia nos agronegócios 
31,83 
30,31 
Agronegócios nas vendas p/União Européia
55,22 
52,08 
Agronegócios p/União Européia nas exportações totais
12,66 
11,41 
Exportações p/ União Européia nas exportações totais
22,93 
21,91 
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            Do montante dos agronegócios exportado em 2006 para a União Européia, a distribuição por perfil de agregação de valor indica que os produtos básicos tiveram a maior participação (57,9%). Em seguida, apareceram os produtos manufaturados (28,0%), completados com os 14,2% dos produtos semimanufaturados. Isto implica que os agronegócios vendem, para a União Européia, produtos com menor valor agregado que as exportações setoriais totais (tabela 3).

Tabela 3 - Participação dos diferentes perfis de agregação do valor nas exportações dos agronegócios brasileiros, de janeiro a setembro de 2006, em porcentagem

Agregação de valor
Total 
União Européia 
Básicos
45,36 
57,91 
Semimanufaturados 
19,74 
14,20 
Manufaturados
34,90 
27,89 
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            Os cinco principais grupos dos agronegócios exportados para a União Européia nos nove primeiros meses de 2006 foram, na ordem, Cereais, leguminosas e oleaginosas (30,2%); Produtos florestais (16,5%); Bovídeos (15,5%); Café e estimulantes (11,1%) e Frutas (7,8%). Juntos representam 81,1% das exportações (US$ 9,32 bilhões), uma variação positiva de 5,2% na comparação com o mesmo período de 2005. Os 18,9% restantes estão distribuídos nos demais grupos (nove no total) no valor de US$ 2,17 bilhões (tabela 4).

Tabela 4 - Principais grupos de cadeias de produção das exportações brasileiras para a União Européia, de janeiro a setembro de 2005 e 2006

Posição
Grupos
Jan.a setembro/2005
Jan.a setembro/2 006
var.%
US$ (1.000)
part.%
US$ (1.000)
part.%
1
Cereais, legumes e oleaginosas
3.621.894
32,99
3.464.225
30,15
-4,35
2
Produtos florestais
1.717.142
15,64
1.894.175
16,48
10,31
3
Bovídeos
1.491.839
13,59
1.786.970
15,55
19,78
4
Café e estimulantes
1.230.752
11,21
1.276.048
11,10
3,68
5
Frutas
796.334
7,25
899.342
7,83
12,94
Subtotal
8.857.961
80,67
9.320.760
81,11
5,22
6
Suínos e aves
553.771
5,04
668.196
5,81
20,66
7
Fumo
651.646
5,93
611.081
5,32
-6,22
8
Agronegócios especiais
242.427
2,21
275.278
2,40
13,55
9
Têxteis
158.333
1,44
168.137
1,46
6,19
10
Pescado
189.762
1,73
153.678
1,34
-19,02
11
Bens de capital e insumos
164.266
1,50
145.917
1,27
-11,17
12
Cana e sacarídeas
109.612
1,00
97.119
0,85
-11,40
13
Olerícolas
37.504
0,34
33.875
0,29
-9,68
14
Flores e ornamentais
14.689
0,13
16.981
0,15
15,60
 
Subtotal
2.122.010
19,33
2.170.264
18,89
2,27
Total
10.979.971
100,00
11.491.024
100,00
4,65
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            O grupo de Cereais, leguminosas e oleagionosas corresponde a 30,2% das exportações dos agronegócios, com valor de US$ 3,46 bilhões em 2006, mas registra queda de 4,4% na comparação com igual período de 2005 quando sua participação era de 33,0%. As exportações desse grupo têm característica bem determinante por fator agregado, pois 89,8% das vendas (US$ 3,11 bilhões) são de produtos básicos. Os produtos manufaturados representam 6,8% e os produtos semimanufaturados têm apenas 3,4% de participação no grupo (tabelas 4 e 5).

Tabela 5 - Agregação de valor nos principais grupos de cadeias de produção das exportações brasileiras para a União Européia, de janeiro a setembro de 2006

Grupos
Básicos
Semimanufaturados
Manufaturados
US$ 1.000
%
US$ 1.000
%
US$ 1.000
%
Agronegócios especiais 
117.333 
42,62 
52.745 
19,16 
105.201 
38,22 
Bens de Capital e insumos 
97.119 
100,00 
Bovídeos 
794.628 
44,47 
415.156 
23,23 
577.187 
32,30 
Café e estimulantes 
1.194.658 
93,62 
5.755 
0,45 
75.635 
5,93 
Cana e sacarídeas 
0,00 
4.493 
2,67 
163.640 
97,33 
Cereais, leg. e oleaginosas 
3.110.416 
89,79 
117.670 
3,40 
236.138 
6,82 
Flores e ornamentais 
16.089 
94,75 
892 
5,25 
Frutas 
220.045 
24,47 
4.843 
0,54 
674.455 
74,99 
Fumo 
668.002 
99,97 
195 
0,03 
Olerícolas 
24.255 
71,60 
7.778 
22,96 
1.841 
5,44 
Pescado 
145.870 
99,97 
0,00 
46 
0,03 
Produtos florestais 
5.474 
0,29 
1.013.818 
53,52 
874.883 
46,19 
Suínos e aves 
344.063 
56,30 
0,00 
267.018 
43,70 
Têxteis 
13.716 
8,93 
9.222 
6,00 
130.740 
85,07 
Exportações Totais 
6.654.552 
57,91 
1.631.482 
14,20 
3.204.990 
27,89 
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            O complexo da soja representa 29,1% (US$ 3,35 bilhões) no total das exportações dos agronegócios em 2006, um recuo de 5,2% quando comparado com 2005. Dentro do seu grupo, o complexo da soja é predominante com 96,7% de participação e, na decomposição por perfil de agregação de valor, os produtos básicos da soja somam US$ 3,05 bilhões em 2006, porém 12,3% menor que o ano anterior (tabela 6).
            O grupo de produtos florestais, com US$ 1,89 bilhão (2006) exportado para a União Européia, aparece em segundo lugar com 16,5% de participação e crescimento de 10,3% em comparação com o período anterior. Este grupo se caracteriza, quase na sua totalidade, por exportações de produtos semimanufaturados (53,5%) e manufaturados (46,2%), restando apenas 0,3% de produtos básicos (tabelas 4 e 5).
            Em terceiro lugar, aparece o grupo de Bovídeos com US$ 1,79 bilhão e participação de 15,5% nas exportações dos agronegócios, registrando crescimento de 19,8% nas vendas em relação a 2005. Quanto ao perfil de agregação de valor, verifica-se um comportamento bem distribuído, sendo 44,5% de produtos básicos, 32,3% de manufaturados e 23,2% de semimanufaturados (tabelas 4 e 5).
            Café e Estimulantes, com US$ 1,28 bilhão, são o quarto grupo em importância nas exportações para a União Européia nos primeiros nove meses de 2006 (11,1%), com vendas positivas de 3,7% na comparação com o mesmo período anterior. Por perfil de agregação de valor, é predominante a exportação dos produtos básicos que detêm 93,6% de participação contra apenas 5,9% de produtos processados (tabelas 4 e 5).
            O grupo de Frutas mostra bom desempenho em 2006, com US$ 900 milhões contra US$ 796 milhões de 2005 (12,6% de crescimento). Os produtos manufaturados ocupam posição de destaque, com 75,0% nas exportações, seguidos de participações menores dos produtos básicos (24,5%) e dos semimanufaturados (apenas 0,5%) (tabelas 4 e 5). O suco de laranja é o principal produto (representa 71,2% do grupo) com US$ 640 milhões, um crescimento de 17,1% em relação a 2005 (tabela 6).
            Dos nove grupos restantes, apenas quatro apresentaram crescimento até setembro de 2006: Suínos e aves (20,6%); Flores e ornamentais (15,6%); Agronegócios especiais (13,6%) e Têxteis (6,2%). Os grupos de Fumo, Pescado, Bens de capital e insumos, Cana e sacarídeas e Olerícolas registram quedas nas variações, respectivamente, de 6,2%, 19,0%, 11,2%, 11,4% e 9,7% (tabelas 4 e 5).

_______________________
1 A União Européia é um bloco econômico, com união aduaneira e Política Agrícola Comum (PAC) e formado por 25 países com uma população estimada em 450 milhões de habitantes.

Clique aqui para ver a tabela 6 - Exportações para União Européia, por Grupo de Mercadorias e Fator Agregado, Brasil, Janeiro a Setembro de 2005 e 2006

Data de Publicação: 13/11/2006

Autor(es): José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor