Exportações dos agronegócios brasileiros para a Argentina, janeiro-setembro de 2006

            As exportações dos agronegócios brasileiros para a Argentina totalizaram US$ 1,16 bilhão nos primeiros nove meses de 2006, um incremento de 8,7% em relação ao US$ 1,07 bilhão de igual período de 2005. Este desempenho é inferior ao das exportações totais brasileiras (+16,1%), das vendas externas dos agronegócios (+9,9%) e das exportações totais para a Argentina (+19,4%) (tabela 1).

Tabela 1 - Exportações brasileiras para a Argentina, totais e dos agronegócios, 2005 e 2006, em US$ 1.000

Total / setor
2005
2006
Variação (%)
Exportação do Brasil
86.719.266
100.711.573
16,14
Exportação para a Argentina
7.225.292
8.623.265
19,35
Exportação dos Agronegócios
34.509.884
37.911.127
9,86
Agronegócios para a Argentina
1.069.023
1.162.259
8,72
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            A representatividade das vendas para a Argentina nas exportações brasileiras elevou-se de 8,3% em 2005 para 8,6% em período similar de 2006. O mesmo não ocorreu nos agronegócios, que registraram pequeno decréscimo, de 1,23% para 1,15% no cotejo dos períodos considerados. Os agronegócios responderam por 14,8% em 2005 e por 13,5% em 2006 das vendas para a Argentina, no período considerado.

Tabela 2 – Participação das vendas para a Argentina nas exportações brasileiras, 2005 e 2006, em porcentagem

Participação
2005
2006
Agronegócios para a Argentina nos agronegócios
3,10
3,07
Agronegócios nas vendas para a Argentina
14,80
13,48
Agronegócios para a Argentina nas exportações totais
1,23
1,15
Exportações para a Argentina nas exportações totais
8,33
8,56
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            Ao considerar o perfil de agregação de valor, observa-se que o Brasil exportou para a Argentina, nos primeiros nove meses de 2006, predominantemente produtos manufaturados (83,7%). Já a participação desse perfil de produtos nas exportações setoriais totais foi de 34,9%. Os produtos básicos representaram 10,3% e o semimanufaturados, 6,0% das vendas dos agronegócios para a Argentina, enquanto nas exportações setoriais totais foram, respectivamente, de 45,4% e 19,8%. Assim, as vendas dos agronegócios para a Argentina constituíram-se de maior valor agregado do que as exportações setoriais totais (tabela 3).

Tabela 3 - Participação dos diferentes perfis de agregação de valor nas exportações dos agronegócios brasileiros, janeiro-setembro de 2006, em porcentagem

Agregação de valor
Total
Argentina
Básicos
45,36
10,30
Semimanufaturados
19,74
6,01
Manufaturados
34,90
83,68
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            Há enorme concentração das exportações dos agronegócios brasileiros para o mercado argentino. Os cinco principais grupos de cadeias de produção, que em 2005 somaram negócios no valor de US$ 956 milhões e representaram 89,5% do total, atingiram US$ 1,027 bilhão em igual período de 2006, um crescimento de 7,5%. Com isso, passaram a significar 88,4% das vendas concretizadas. O grupo de bens de capital e insumos, cujo valor alcançou US$ 324 milhões, apresentou variação negativa de 0,6%. Já os produtos florestais e os têxteis tiveram variações positivas, respectivamente, de 13,6% e 13,4% (tabela 4).

Tabela 4 - Principais grupos de cadeias de produção das exportações dos agronegócios brasileiros para a Argentina, janeiro-setembro, 2005 e 2006

Grupos
Jan-Set/2005
Jan-Set/2006
Variação %
US$ 1000
%
US$ 1000
%
Bens de Capital / Insumos
325.659
30,46
323.634
27,85
-0,62
Produtos Florestais
256.286
23,97
291.103
25,05
13,59
Têxteis
211.254
19,76
239.523
20,61
13,38
Café e Estimulantes
108.145
10,12
113.582
9,77
5,03
Agronegócios Especiais
55.034
5,15
60.107
5,17
9,22
Subtotal
956.378
89,46
1.027.948
88,44
7,48
Bovídeos
30.460
2,85
39.513
3,40
29,72
Suínos e Aves
36.531
3,42
30.738
2,64
-15,86
Cereais/Legumin./Oleagin.
10.816
1,01
20.299
1,75
87,68
Fumo
9.632
0,90
17.194
1,48
78,51
Pescado
5.738
0,54
10.609
0,91
84,90
Frutas
11.258
1,05
9.053
0,78
-19,59
Olerícolas
5.767
0,54
4.460
0,38
-22,66
Cana e Sacarídeas
1.885
0,18
1.728
0,15
-8,30
Flores e Ornamentais
559
0,05
717
0,06
28,30
Subtotal
112.645
10,54
134.311
11,56
19,23
Total
1.069.023
100,00
1.162.259
100,00
8,72
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

            Ao destacar a agregação de valor para os principais grupos de cadeias de produção, nota-se elevada participação dos manufaturados nas transações com a Argentina, que somaram US$ 972 milhões (83,7%) nos primeiros nove meses de 2006. Desse total, os bens de capital e insumos responderam por US$ 323 milhões, o que corresponde a expressivos 99,9% das vendas desse grupo de mercadorias (tabela 5).

Tabela 5 - Agregação de valor nos principais grupos de cadeias de produção das exportações dos agronegócios brasileiros para a Argentina, janeiro-setembro de 2006

Grupos
Básicos
Semimanufaturados
Manufaturados
US$ 1000
%
US$ 1000
%
US$ 1000
%
Agronegócios especiais
8.131
13,53
3.105
5,17
48.871
81,31
Bens de Capital /Insumos
21
0,01
350
0,11
323.263
99,89
Bovídeos
-
-
3.857
9,76
35.656
90,24
Café e estimulantes
39.745
34,99
43.918
38,67
29.919
26,34
Cana e sacarídeas
-
-
25
1,42
1.704
98,58
Cereais, legum e Oleagin
8.144
40,12
886
4,37
11.269
55,51
Flores e ornamentais
98
13,61
-
-
619
86,39
Frutas
5.881
64,97
284
3,13
2.888
31,90
Fumo
5.257
30,57
-
-
11.938
69,43
Olerícolas
1.599
35,86
8
0,18
2.853
63,97
Pescado
2.392
22,55
2
0,02
8.215
77,43
Produtos florestais
200
0,07
17.361
5,96
273.542
93,97
Suínos e aves
27.222
88,56
28
0,09
3.488
11,35
Têxteis
21.067
8,80
44
0,02
218.412
91,19
Exportações totais
119.757
10,30
69.866
6,01
972.636
83,68
Fonte: Elaborada pelo Instituto de Economia Agrícola, a partir de dados básicos da SECEX/MDIC

Clique aqui para ver a tabela 6 - Exportações para os Estados Unidos, por Grupo de Mercadorias e Fator Agregado, Brasil, Janeiro a Setembro de 2005 e 2006

Data de Publicação: 16/11/2006

Autor(es): José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor