Preços Agropecuários Caem 1,48% no Mês de Março de 2007

            O Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR) teve queda de 1,48% no mês de março de 2007. Essa queda se deve principalmente aos produtos de origem vegetal (IqPR-V), cuja variação negativa foi de 1,86%. Já os produtos de origem animal (IqPR-A) registraram queda de 0,70% (Tabela 1).

Tabela 1 - Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista, Fevereiro e Março de 2007

 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola.

            Após apresentar valores decrescentes nas últimas 5 quadrissemanas, o IqPR teve pela primeira vez no ano, um valor negativo. Por um lado, para os produtores essa queda significa redução nas suas margens, por outro, essa redução diminui a pressão sobre a inflação futura.
            Quando se desconsidera a cana-de-açúcar, que representa cerca de 1/3 do valor da produção agropecuária paulista, o resultado do IqPR cai para -1,71%, e o IqPR-V vai para -2,69%. Observe-se que a cana teve redução de 1,02% no preço médio entre as últimas semanas de fevereiro e março (Tabela 2).
 
 

Tabela 2 - Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, Março de 2007

 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola.

 

            Os produtos com maior queda neste mês foram: batata (-18,18%), carne suína (-12,12%), laranja para mesa (-11,66%), carne de frango (-11,30%), laranja para indústria (-8,66%), milho (-8,23%) e arroz (-7,30%) (figura 1).
            Destaque-se que no caso da batata, a maior queda se deve à boa produção na safra das águas. A redução do preço da carne suína reflete o fraco desempenho das exportações, resultando em maior oferta do produto no mercado interno.
 
 

Figura 1 - Variações das Cotações dos Produtos, Estado de São Paulo, Março de 2007

 
Fonte: Instituto de Economia Agrícola.

            Os produtos do IqPR que apresentaram maior alta nos preços foram: banana nanica (36,58%), tomate para mesa (32,25%), ovos (10,06%) e feijão (7,28%).
            Nos dois primeiros meses do ano a banana nanica apresentou tendência de queda, devido à elevada oferta desse produto, atingindo seu menor preço na primeira quadrissemana de março. A partir daí houve reversão da tendência e o aumento de preços se deve ao início das aulas, à boa qualidade da fruta e à pequena entressafra na principal região produtora de banana do estado (Figura 2). 
  
 

Figura 2 - Comportamento dos preços da banana nanica, Estado de São Paulo, janeiro a março de 2007

 

Fonte: Instituto de Economia Agrícola.



           O tomate continua apresentando aumento de preço, em virtude da baixa produção, ocasionada pela redução da área de plantio e dos investimentos. Os ovos apresentaram aumento de preços devido ao aumento de consumo com a proximidade da Semana Santa.
            Em resumo, no período analisado, 8 produtos apresentaram alta de preços (5 de origem vegetal e 3 de origem animal) e 12 produtos tiveram quedas (9 do segmento vegetal e 3 do animal), resultando em queda expressiva dos índices de preços agrícolas no período e contribuindo para redução da inflação.

___________________________________________
  1Elaborado a partir do índice de preços de Laspeyres, ponderado pelo Valor da Produção Agropecuária Paulista (VPA).

Data de Publicação: 10/04/2007

Autor(es): Eder Pinatti (pinatti@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
Raquel Castelluci Caruso Sachs (raquelsachs@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Alberto Angelo (alberto@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor
José Sidnei Gonçalves (sydy@iea.sp.gov.br) Consulte outros textos deste autor